COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Terrestre

01 de Maio, 2020 - 11:50 ( Brasília )

Velho Casarão da Várzea, sede do Colégio Militar de Porto Alegre, celebra 148 anos de história


A edificação que abriga o Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA) completou 148 anos de história. Em 29 de abril de 1872, foi lançada a pedra fundamental do prédio que, anos mais tarde, viria a ser carinhosamente conhecido como o "Velho Casarão da Várzea", parte do patrimônio histórico da capital gaúcha.

Sua destinação inicial, prevista pelo Ministro da Guerra, General Manoel Luis Osorio, era a de ser um quartel de Infantaria, pois os aquartelamentos existentes na capital eram velhos e não comportavam os seus próprios contingentes nem outros, que vinham em trânsito cumprir as muitas missões bélicas na fronteira.

Em 1878, as obras foram paralisadas por falta de verbas, quando as paredes já contavam com quatro metros de altura. No entanto, ao assumir o Ministério da Guerra, o Marechal José Antônio Corrêa da Câmara, antigo aluno da Escola Militar, em virtude do cessamento das hostilidades com os países fronteiriços, determinou a continuidade das obras, mudando sua destinação para abrigar a Escola Militar da Província do Rio Grande do Sul, que, naquele momento, funcionava em prédios alugados, desde que seu primeiro curso fora iniciado em 1853.

Em 1883, a Escola passou a funcionar no Casarão da Várzea e, em 1887, ficou pronto o internato e também as instalações que abrigavam “os contingentes, as oficinas e o picadeiro”, estas situadas na atual Rua Vieira de Castro nº 222 (atual anexo ao CMPA).

Começava, assim, a trajetória de um prédio que marcou a história de Porto Alegre, do Rio Grande do Sul e do Brasil. A partir de 1912, abrigaria o CMPA, sediado nasquele espaço até os dias de hoje, contribuindo para a formação de várias gerações de brasileiros.