COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Geopolítica

04 de Novembro, 2011 - 09:55 ( Brasília )

Iranianos celebram tomada de embaixada dos EUA em 1979


Aos gritos de "Morte aos Estados Unidos!", milhares de iranianos se concentraram nesta sexta-feira por ocasião do aniversário da tomada de reféns na embaixada americana em Teerã, em 4 de novembro de 1979, um fato que acabou na ruptura das relações diplomáticas entre os dois países. A concentração também serviu para saudar a Primavera Árabe, que os iranianos chamam de "Despertar Islâmico", e para criticar Israel.

Em 4 de novembro de 1979, alguns meses depois da Revolução Islâmica que derrubou o xá Mohamed Reza Pahlavi, apoiado pelos Estados Unidos, 52 funcionários da embaixada americana na capital iraniana foram sequestrados por estudantes islamitas e mantidos reféns por 444 dias.

Em abril de 1980, o presidente Jimmy Carter ordenou uma operação militar para libertá-los, acabou fracassando. Os reféns só foram libertados em 20 de janeiro de 1981. Washington rompeu relações com Teerã em 7 de abril de 1980, e desde então a situação entre ambos países é tensa.