COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Geopolítica

29 de Julho, 2014 - 10:00 ( Brasília )

100 Anos - As grandes batalhas da Primeira Guerra Mundial


A Batalha de Verdun ficou como o símbolo do horror da Primeira Guerra Mundial (1914-18), mas são lembrados outros cenários do conflito que mobilizou tropas de todos os continentes e deixou milhões de mortos na Europa:

- Primeira batalha do Marne (a leste de Paris), de 5 a 12 de setembro de 1914. Uma contraofensiva relâmpago franco-britânica impede o avanço dos alemães, a menos de 40 km de Paris, os obriga a recuar para o norte por um mês. Essa primeira vitória aliada muda o rumo da guerra. Quase um milhão de soldados franceses e britânicos enfrentam 800.000 alemães. Cerca de 250.000 pessoas de cada lado morrem ou ficam feridas. Os franceses consideram esta a batalha que salvou o país.

- Batalha dos Dardanelos (1915), nome do Estreito que dá acesso a Istambul e ao Mar Negro, fechado pela Turquia no início da guerra. Em fevereiro, os aliados tentam abrir passagem, atacando o centro do Império Otomano, mas sofrem um violento revés. Em 25 de abril, tropas inglesas, neozelandesas, australianas e francesas tentam desembarcar na península de Galípoli e são bloqueadas pelas tropas turcas. Morrem 180.000 soldados aliados e 70.000 turcos. Australianos e neozelandeses lembram de Galípoli como um evento fundador, já que combateram pela primeira vez com as cores de suas respectivas bandeiras nacionais. As últimas tropas aliadas batem em retirada no dia 9 de janeiro de 1916.

- Batalha de Verdun (1916), considerada pelos franceses o símbolo da Grande Guerra, pela fúria do combate e o sofrimento dos soldados. Em 25 de fevereiro de 1916, a Alemanha inicia uma grande ofensiva ao norte de Verdun (leste de Paris). A partir de junho, os franceses impedem o avanço e reconquistam os emblemáticos fortes de Douaumont (outubro) e Vaux (dezembro). Também conseguem reconquistar a maior parte do território perdido. São registrados mais de 300.000 mortos, franceses e alemães, de um total de 770.000 baixas. O Ossuário de Douaumont contém ossos não identificados de 130.000 soldados de ambos os lados. Mas a propaganda francesa destaca a resistência e a coragem de seus soldados.

- Batalha de Somme (norte da França), a mais letal (1,2 milhão de vítimas e mais de 400.000 mortos) do conflito. Acontece entre julho e novembro de 1916, travada por Aliados e alemães. As conquistas dos Aliados são ínfimas, mas essa é uma batalha emblemática para os britânicos, que registram 20.000 mortes no primeiro dia de confrontos, e para os alemães, que resistem, apesar do intenso fogo a que são submetidos, assim como fizeram os franceses em Verdun.

- Chemin des Dames (Caminho das Damas), assim chamado porque por ele passavam as "Damas da França" (as filhas de Luis XV). Uma ofensiva francesa, iniciada em 16 de abril de 1917, com o objetivo de romper a frente alemã, vira um sangrento fracasso (100.000 vítimas francesas em um mês). Cansados e insatisfeitos, os soldados franceses iniciam um motim.

- Segunda batalha do Marne (leste de Paris). Contraofensiva vitoriosa dos Aliados com apoio das tropas americanas - pela primeira vez com o uso de uma grande quantidade de tanques. É iniciada após quatro grandes ofensivas da Alemanha durante a primavera (hemisfério norte) de 1918. A batalha muda definitivamente o rum da guerra, provocando uma retirada alemã em todas as frentes, e resulta no armistício de 11 de novembro.