COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Geopolítica

26 de Junho, 2013 - 10:04 ( Brasília )

Pyongyang lembra início da Guerra da Coreia com grande desfile


O regime da Coreia do Norte lembrou nesta terça-feira o 63º aniversário da Guerra da Coreia com um grande desfile em Pyongyang e manifestações antiamericanas, publicou nesta quarta-feira a imprensa local.

Na capital norte-coreana, o desfile aconteceu na Praça Kim Il-sung e estiveram presentes altos líderes políticos e militares do país, entre eles o chefe de governo, Pak Pong-ju, e o vice-primeiro-ministro, Kang Sok-ju.

As informações da emissora de televisão estatal KCBS não mencionaram, no entanto, se o líder Kim Jong-un estava presente no ato.

Segundo a imprensa local, durante o discurso oferecido por uma autoridade local de Pyongyang fez-se uma chamada para que a Coreia do Norte desenvolva sua economia e armas nucleares de maneira simultânea para fazer frente ao imperialismo dos Estados Unidos.

O grande desfile da capital foi seguido por uma grande manifestação antiamericana, segundo a televisão estatal, mas esta não forneceu dados sobre o número de participantes.

A agência estatal de notícias KCNA informou, além disso, que outros desfiles foram realizados pelo mesmo motivo em outras cidades do país.

No dia 25 de junho de 1950, as tropas comunistas da Coreia do Norte de Kim Il-sung - seu fundador e avô do atual líder - invadiram o território sul-coreano dando início à Guerra da Coreia, que durou até julho de 1953.

Os EUA e a ONU intervieram em favor do Sul, enquanto a China e a União Soviética apoiaram o Norte nesse conflito, um dos mais sangrentos da história com mais de 2,5 milhões de mortes entre militares e civis, segundo estimativas.

A guerra terminou sem vencedor, por isso a fronteira entre Norte e Sul ficou traçada no paralelo 38, praticamente a mesma antes do início do confronto.