COBERTURA ESPECIAL - DQBRN - Geopolítica

15 de Outubro, 2014 - 11:50 ( Brasília )

IRAQUE - Soldados americanos foram expostos a armas químicas


Atualizado 15 Out 12:30
Incluído vídeo NY Times


Um relatório divulgado nesta quarta-feira no jornal americano "New York Times" revelou que, entre 2004 e 2011, as tropas americanas e soldados iraquianos encontraram armas químicas produzidas pelo regime de Saddam Hussein antes de 1991, e pelo menos 17 membros do serviço dos EUA foram feridos pela deterioração os armamentos. Para piorar a situação, o grupo Estado Islâmico controla agora a área onde a maioria das armas foram encontrados

Ao todo, as tropas americanas secretamente relataram a descoberta de cerca de cinco mil ogivas químicas, escudos ou bombas de aviação, de acordo com as entrevistas com dezenas de participantes, autoridades iraquianas e americanas, e documentos de inteligência obtidos sob a Lei de Liberdade de Informação. O Pentágono reconheceu a existência de alguns depósitos de armas químicas antigas, como gás sarin e gás mostarda.

Segundo o "The New York Times", 17 membros do serviço americanos e sete policiais iraquianos foram expostos a remanescentes de armas químicas após 2003. Autoridades afirmaram, no entanto, que a contagem real de soldados expostos foi um pouco maior, mas a informação foi considerada confidencial. O sigilo é considerado mantido diante da preocupação pelos extremistas do EI, que controlam grande parte do território onde as armas foram encontradas.

Além disso, as armas haviam sido produzidas antes de 1991 e projetadas nos nos Estados Unidos com fabricação europeia e finalizadasnas linhas de produção de agentes químicos construídos no Iraque por empresas ocidentais.

Mas, a confidencialidade das informações teriam impedido as tropas de receberem assistência adequada. O governo dos EUA impediu as tropas de receberem cuidados médicos e se recusou a reconhecer que os soldados tinham sido feridos no cumprimento do dever. Os americanos sofreram queimaduras, bolhas graves, doenças respiratórios e outros problemas de saúde.

- Eu me senti mais como uma cobaia de um soldado ferido - disse um ex-sargento do Exército, que sofreu queimaduras em 2007 e teve o tratamento hospitalar e evacuação médica para os Estados Unidos negados, apesar dos pedidos de seu comandante.

Após os ataques terroristas de 11 de setembro, o presidente George Bush insistiu que o Saddam Hussein escondia armas químicas, mas inspetores das Nações Unidas disseram que não conseguiram encontrar provas dos armamentos.