COBERTURA ESPECIAL - Doutrina Militar - Terrestre

31 de Agosto, 2018 - 16:10 ( Brasília )

Centro de Instrução de Operações na Caatinga conclui formação de mais uma turma de militares combatentes


Durante o mês de agosto, foram realizados os mais recentes turnos do Estágio de Adaptação à Caatinga (EAC) e do Estágio de Adaptação e Operações na Caatinga (EAOC), conduzidas pelo Centro de Instrução de Operações na Caatinga (CIOpC), fração orgânica do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado (72º BI Mtz), situado na cidade de Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

Os estágios objetivam a preparação do combatente para atuação no ambiente operacional de Caatinga, além de permitir a melhor adaptação de militares transferidos a quartéis sediados em regiões semiáridas.

O EAC tem duração de uma semana, enquanto o EAOC é desenvolvido em duas semanas. As instruções ocorrem no Campo de Instrução Fazenda Tanque do Ferro (CIFTF), com mais de 2.800 hectares de Caatinga preservada, situado próximo à localidade de Jutaí, a 110 km distante de Petrolina. Também são realizadas atividades no Parque Zoobotânico da Caatinga, dentro da área do 72º BI Mtz, onde os estagiários aprendem noções a fauna e flora locais.

 
 

Os instruendos passam por um rigoroso processo de aprendizagem, realizado em um dos locais mais desafiadores e inóspitos do mundo. O clima inclemente, a vegetação espinhosa, o terreno árido e pedregoso e a escassez de água levam o combatente ao limite de sua capacidade física e psicológica. O treinamento especial para superar tantas adversidades desse ambiente operacional, fazem do combatente de Caatinga um militar diferenciado.

O Comandante do 72º BI Mtz, Tenente-Coronel Antonio Anísio Oliveira Leite, enfatiza o fato de os militares que desenvolvem a doutrina de operações na Caatinga serem os mesmos que ministram as instruções aos estagiários, uniformizando técnicas e procedimentos. "O CIOpC é de suma importância para o Batalhão. Além de preparar o nosso próprio efetivo, também instruímos anualmente militares de tropas especializadas, particularmente da Brigada Paraquedista e Brigada Leve", acrescenta.

São realizados de 12 a 14 estágios por ano, formando mais de 400 combatentes. O Instrutor-Chefe do CIOpC, Major Leonardo Sampaio Leite, destaca a importância de a maior parte das instruções ocorrerem na Fazenda Tanque do Ferro. "Trata-se de um grande meio contribuinte no processo ensino-aprendizagem, por ter uma imensa área do bioma Caatinga preservado. Dessa forma, as atividades são desenvolvidas mais próximas da realidade, otimizando a formação militar", justifica.

 
 

Histórico

Os primeiros movimentos para a criação do Estágio de Caatinga foram dados em 1984. No ano seguinte, ocorreu o primeiro Estágio de Operações na Caatinga, com uma semana de duração. Já em 1996, após uma série de trocas de experiências, aconteceu o primeiro Estágio de Adaptação e Operações na Caatinga, com duração de duas semanas, nos moldes do que ocorre atualmente.

Por fim, uma Portaria do Estado-Maior do Exército, de 21 de dezembro de 2005, estabeleceu as diretrizes para a implantação do CIOpC, importante passo para o aprimoramento da doutrina de formação do combatente de Caatinga.

 
 

Fotos - Ten Edvaldo

VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Eleições

Eleições

Última atualização 21 SET, 21:20

MAIS LIDAS

Doutrina Militar