COBERTURA ESPECIAL - Doutrina Militar - Terrestre

22 de Setembro, 2015 - 10:30 ( Brasília )

Operação Centauro – Entrevista Gen Castro 6ª Bda Inf Bld



Ricardo Fan
Desde Campo de Instrução de Saicã (RS)

 
Entrevista concedida a DefesaNet pelo General-de-Brigada Fábio Benvenutti Castro, comandante da 6ª Brigada de Infantaria Blindada (Bda Inf Bld), Brigada Niederauer,  durante a preparação da Operação Centauro 2015.

O Exército Brasileiro está realizando, no Campo de Instrução Barão de São Borja (CIBSB) pelo período de duas semanas, de 14 a 23 de setembro, um dos maiores exercício de simulação integrada da América Latina, denominado Operação Centauro.

Envolve a realização das simulações viva, virtual e construtiva em um mesmo ambiente de integração (ver quadro abaixo para as diferentes simulações).

Seguem as palavras do Gen Bda Castro:

A Operação Centauro é uma excepcional oportunidade para nós treinarmos os nossos quadros nas tarefas essenciais do combate. Ela integra uma parte da simulação viva, da virtual e junto da construtiva e a prática real que é fundamental.

É importante hoje nós praticarmos o combate como ele vai se realizará, de uma maneira integrada, que nos permite visualizarmos nos escalões maiores e esses escalões integrados e coordenados no campo de batalha irão produzir os efeitos desejados.

Estamos empregando o M113Br, que é a ultima versão repontencializada pelo Exército. Com um motor mais potente ele tornou-se um carro mais rápido e com maior capacidade de superar o terreno, e em consequência disso ele acompanha em melhores condições a tropa blindada. É claro que não devem apenas acompanhar a tropa blindada, os infantes (fuzileiros), que equipam e operam os M113 devem estar capacitados a operarem junto à tropa blindada e esse exercício vai nos permitir isso, integrar as situações táticas elementares na execução das tarefas combate.

Também estamos incorporando a viatura Gepard na manobra para acompanhar a tropa, dando proteção antiaérea a qualquer formação blindada, essencial hoje em variados tipos de combate o "guarda-chuva" antiaéreo e o Gepard nos fornece isso contra ameaças de baixa altitude. (Nota DefesaNet - Os testes da real capacidade do radar da viatura Gepard, com passagem de caças A-1-AMX, sobre o Campo de Saicã indicaram que as aeronaves foram detectadas a 15km de distância e engajadas a 5km, mostrando a eficiência do armamento para ameaças a baixa altitude.)

Em resumo, essa é a primeira manobra com o M113Br repontencializado, com o Gepard dando o enflexamento antiaéreo, o "guarda-chuva" antiaéreo, e ainda com as tropas de engenharia atuando em conjunto com as tropas de linha de frente que devem proporcionar condições de mobilidade no campo de batalha a medida que as necessidades surgirem.

Nota DefesaNet

O General-de-Brigada Fábio Benvenutti Castro assumiu o comando da 6ª Brigada de Infantaria Blindada, Brigada Niederauer, em 24 Abril de 2015.

Além dos cursos regulares da carreira, possui os de Paraquedista e de Piloto de Combate de Helicópteros, realizados no Brasil, o de Blindados nos EUA e o de Direção, Política e Estratégica no Chile.

Comandou o Curso de Cavalaria da Academia Militar das Agulhas Negras, o Centro de Instrução de Aviação do Exército e a Escola Preparatória de Cadetes do Exército. Foi instrutor da Academia Militar de West Point (EUA) e participou de missões de paz na Iugoslávia e no Chipre. Serviu no Estado-Maior de Exército como formulador da Doutrina de Cavalaria. Foi Assistente do Comandante Militar do Sul e sua ultima função antes da promoção ao Generalato erade Assistente do Comandante do Exército (Brasília/DF)  

Matérias Relacionadas

6ª Bda Inf Bld - Assume Gen Benvenutti Castro Link


A transformação da Elite do Combate Convencional Link
Interessante artigo sobre a evolução do Comando Militar do Sul e da Arma de Cavalaria. Leitura recomendada

Para o M113Br acesse a matéria

M113BR - 100ª Viatura Entregue Link
 
Para o Gepard acesse

O GEPARD 1A2 Link

 

Tabela detalhando os diferentes Sistemas de Simulação:

Simulação Viva -  Envolve pessoas reais, operando sistemas reais (armas, viaturas e equipamentos), no mundo real.
Utiliza emissores e receptores “laser” para simular os efeitos do engajamento e combate tático.
A simulação pode ser monitorada  em tempo real através de um centro de controle de exercício.

Simulação Virtual -  Envolve pessoas reais, operando sistemas simulados ou gerados por  computador. 
Substitui armamentos ou veículos cujo uso e operação exijam apurado grau de técnica e elevados custos para o treinamento.
Os meios deste tipo de simulação normalmente são reunidos em espaço único para melhor aproveitamento.

Simulação Construtiva - Envolve tropas simuladas, operando sistemas simulados, controlados por pessoas reais.
Conhecida como “jogos de guerra”,  sua finalidade é adestrar Estados Maiores (EM) na tomada de decisões.
A ênfase é a interação entre Estados Maiores, que se enfrentam como forças oponentes, sob uma direção