COBERTURA ESPECIAL - Doutrina Militar - Terrestre

20 de Setembro, 2015 - 17:00 ( Brasília )

Operação Centauro 2015



Ricardo Fan
Direto de Santa Maria e do Campo de Instrução de Saicâ (RS)


Uma das premissas básicas para que o adestramento é que a tropa participe de manobras de combate com o máximo de realismo possível, em todos os níveis.

O Exército Brasileiro está realizando, no Campo de Instrução Barão de São Borja (CIBSB), pelo período de duas semanas, de 14 a 23 de setembro, um dos maiores exercício de simulação integrada da América Latina, denominado Operação Centauro. Envolve a realização das simulações viva, virtual e construtiva em um mesmo ambiente de integração (ver quadro abaixo para as diferentes simulações).
 
O ponto mais desafiador desse Exercício de Simulação Integrada organizado pelo Comando de Operações Terrestres do Exército (COTER), com a participação  do Centro de Avaliação de Adestramento do Exército (CAAdEx), é a distancia de 150 km entre a Manobra Viva, que ocorre em Saicã, Centro de Instrução Barão de São Borja (CIBSB), com as Simulações Virtual e Construtiva, que ocorrem em "real time" no Centro de Instrução de Blindados (CI Bld) e Centros de Adestramento Simulado de Postos de Comando (CAS-PC), em Santa Maria.

Coube ao COTER em parceria com a empresa  SAAB a  responsabilidade de estruturarem este Exercício de Simulação Integrada. Utilizando o software Wise, de desenvolvimento da SAAB,  que converte e converge todos os dados dos três tipos simulação para uma mesma "linguagem", criando assim um ambiente único e formando uma ação mútua e compartilhada entre as simulações, ou seja o que acontece na Virtual afeta nas Viva e Construtiva e vice e versa. Para a Operação Centauro a empresa SAAB enviou desde a Suécia cerca de 1,5 tonelada de equipamentos e sensores.

Esse tipo de treinamento e adestramento com simulação no EB, sofreu grande impulso nas últimas duas décadas, indo dos simuladores de tiro em ambientes imersivos de treinamento, até a realização de exercícios táticos com Simulação Viva.

Para a vertente Construtiva, o COTER vislumbra a criação de Centros de Adestramento Simulado de Postos de Comando (CAS-PC) e do Centro de Adestramento Simulado e de Pesquisa Operacional (CAS-PO), com novas ferramentas recém adquiridas e em fase de adaptação e transição doutrinária, que permitirão o desenvolvimento de Operações em Amplo Espectro e Interagências.

Na tarde do dia 14 de setembro, o General-de-Brigada Fábio Bevenutti Castro, comandante da 6ª Brigada de Infantaria Blindada,  esteve no CIBSB para acompanhar o início das atividades de preparação realizado pelo 7º Batalhão de Infantaria Blindado (BIB). No exato momento da chegada do general, dois caças A1, da Base Aérea de Santa Maria (BASM) faziam o sobrevoo no campo de Saicã, duas  Viaturas Blindadas de Combate AntiaéreaGepard 1A2, que faziam a defesa antiaérea da região, já haviam detectado as aeronaves a 15km de distância, que foram engajadas com sucesso a 5km.

Participaram do briefing, além do Comandante da 6ª Bda Inf Bld, os seguintes oficiais:

- Cel Dos Anjos, Comandante do Centro de Avaliação de Adestramento do Exército (CAAdEx);
-  Cel Ribeiro e o TC Gérson, do COTER, e o,
- TC Glicério, Comandante da Força Tarefa (FT) 7º BIB, que é o comando de manobra que realiza a atividade.

A Operação Centauro 2015, busca aprimorar a Doutrina Militar do Exército Brasileiro, com avalição do CAAdEx e realização pelo COTER.

Referencias para a manobra

a. Sistema de intrução Militar de Exército (SIMEB 2012), do COTER
b. Programa de Instrução Militar 2015 (PIM 2015) do COTER
c. OS nº 08 - 1ª Subchefia / COTER de 24 Jun 15
b. Diretrizes do Cmt da 6ª Bda Inf Bld

Obejetivos da Manobra

1. Consolidar a capacidade de conduzir exercícios com emprego integrado de simuladores
2. Adestrar uma FT blindada, reforçar com meios de apoio de fogo e de apoio a mobilidade em ofensivas: ataque coordenado e aproveitamento do êxito.

Partipantes Militares

1 -  Comando Militar do Sul (CMS)
a) 3ª Divisão de Exército (DE)
     - Cmd da 3ª DE
     - CAA Sul (CAS-PC)
     - 6ª Bda Inf Bld
     - CI Bld

b) 3ª RM
     - CIBSB

2 – Comando de Operações Terrestres (COTER)
   - 1 SubChefia (Div Sml Cmb)

3 – Comando Militar do Leste (CML)
     - CAAdEx

Entidade civil

- Empresa SAAB - apoio técnico na instalação e uso de equipamentos de simulação viva.

OM 6ª Bda Inf Bld

7º BIB
Frações Avaliadas
  FT SU (viva)
- Pelotão Carro de Combate (Pel CC)
- Pelotão de Fuzileiros Blindados (Pel Fuz Bld)
- Pelotão de Engenharia (Pel Eng)
- Pelotão Expedicionário (Pel Exp)

O DefesaNet agradece as seguintes organizações pelo apoio nesta cobertura:

- COTER
- 6ª Bda Inf Bld
- CAAdEx
- CIBSB
- SAAB


 

Simulação Viva -  Envolve pessoas reais, operando sistemas reais (armas, viaturas e equipamentos), no mundo real.
Utiliza emissores e receptores “laser” para simular os efeitos do engajamento e combate tático.
A simulação pode ser monitorada  em tempo real através de um centro de controle de exercício.

Simulação Virtual -  Envolve pessoas reais, operando sistemas simulados ou gerados por  computador. 
Substitui armamentos ou veículos cujo uso e operação exijam apurado grau de técnica e elevados custos para o treinamento.
Os meios deste tipo de simulação normalmente são reunidos em espaço único para melhor aproveitamento.

Simulação Construtiva - Envolve tropas simuladas, operando sistemas simulados, controlados por pessoas reais.
Conhecida como “jogos de guerra”,  sua finalidade é adestrar Estados Maiores (EM) na tomada de decisões.
A ênfase é a interação entre Estados Maiores, que se enfrentam como forças oponentes, sob uma direção