COBERTURA ESPECIAL - Doutrina Militar - Terrestre

02 de Julho, 2014 - 09:30 ( Brasília )

Academia Militar das Agulhas Negras conduziu o Estágio Básico do Combatente de Montanha


De 26 de maio a 6 de junho, a Seção de Instrução Especial (SIEsp) da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) conduziu o Estágio Básico do Combatente de Montanha, que contou a com a presença de 30 Aspirantes Fuzileiros Navais da Escola Naval, 15 Cadetes de Intendência da Academia da Força Aérea (AFA) e seis cadetes estadunidenses da Academia Militar de West Point, promovendo uma aproximação ainda maior entre as Academias nacionais e estrangeira e fortalecendo laços para a interoperabilidade das três Forças Armadas.

Além dessa interação, outro destaque do Estágio foi a presença de quatro Cadetes do segmento feminino da AFA, o que permitiu à AMAN coletar importantes dados acerca da inserção da mulher na Linha de Ensino Militar Bélica, evento planejado no Exército para 2018.

Durante as duas semanas, homens e mulheres enfrentaram condições meteorológicas extremas, com temperaturas que chegaram aos -7º C, ventos superiores a 70 km/h e chuva forte.

Com essas condições e com um público-alvo tão variado, a AMAN buscou o apoio do Instituto de Pesquisa da Capacitação Física do Exército para realizar a atividade com a máxima segurança, coletando amostras de sangue e monitorando em tempo real a situação cardíaca dos estagiários. Dessa forma, ao final do exercício todos os setores envolvidos com o projeto de inserção da mulher na Linha de Ensino Militar Bélica puderam dispor de dados confiáveis para que novos parâmetros voltados para o treinamento militar feminino sejam estabelecidos.

Outra novidade do Estágio foi a presença da primeira mulher como instrutora a integrar o Corpo de Cadetes. A Capitão farmacêutica Maria Cecília Freitas Almeida, única Guia de Cordada do Exército, foi designada pelo Comando da AMAN para compor a equipe de instrução da SIEsp, permitindo que a comissão para inserção da mulher na Linha de Ensino Militar Bélica avaliasse de perto os efeitos desse novo padrão de relacionamento instrutor-estagiário em situações de fadiga e estresse físico e psicológico.

Ao final do Estágio, 12 Aspirantes da Escola Naval e 14 Cadetes da Academia da Força Aérea foram brevetados Escaladores Militares, em uma cerimônia que contou com a presença de representantes das três Academias Militares brasileiras.