COBERTURA ESPECIAL - Especial DitaBranda - Defesa

04 de Janeiro, 2012 - 23:26 ( Brasília )

Ministério da Defesa cria grupo de trabalho para regulamentar Lei de Acesso à Informação


 Uma portaria do Ministério da Defesa publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União (DOU) constituiu um grupo de trabalho para subsidiar o órgão na regulamentação da Lei de Acesso à Informação.

Sancionada em novembro passado pela presidenta da República, Dilma Rousseff, a nova lei é a primeira na história do país a regulamentar o direito dos cidadãos ao acesso a documentos e informações públicas.

Integram o grupo de trabalho, denominado GT LAI, representantes do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e dos comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, além da Consultoria Jurídica do Ministério e da Secretaria de Coordenação e Organização Institucional (SEORI).

Segundo a portaria, o grupo tem 90 dias para elaborar minuta de decreto para regulamentar a Lei de Acesso à Informação e poderá contar com a participação de técnicos e assessores em suas reuniões, desde que haja solicitação prévia ao coordenador dos trabalhos.

A participação no GT não enseja qualquer remuneração extra aos seus 26 membros e os trabalhos nele desenvolvidos serão considerados como prestação de relevante serviço público.

PORTARIA Nº 10/MD, DE 3 DE JANEIRO DE 2012

O MINISTRO DE ESTADO DA DEFESA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso I da Constituição Federal e em conformidade com o disposto nos incisos V, IX e XV do art. 1º do Anexo I ao Decreto nº 7.364, de 23 de novembro de 2010, resolve:

Art. 1º Constituir Grupo de Trabalho (GT), no âmbito do Ministério da Defesa - MD, doravante nominado de GT LAI, com a finalidade de elaborar minuta de decreto para regulamentar a Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011 (Lei de Acesso à Informação).

Art. 2º O GT LAI terá a seguinte composição:

I - representantes do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas - EMCFA:
a) da Subchefia de Inteligência Estratégica da Chefia de Assuntos Estratégicos - SCIE/CAE:
1. General-de-Divisão Francisco Carlos Modesto, que o coordenará;
2. CMG Marcelo Santiago Villas-Bôas (titular), que o relatará;
3. Cel R1 Paulo Roberto da Silva Gomes (suplente);
4. Cel R1 Rodrigo Martins Prates (suplente); e
5. Ten Cel Inf Aer Francisco Moacir de Oliveira Castro (suplente);
b) da Assessoria de Inteligência Operacional da Chefia de Preparo e Emprego - AIOp/CPE:
1. CF Ricardo Pereira da Silva (titular); e
2. Cel Inf Aer Maurício Rocha de Paiva (suplente);

II - representantes da Consultoria Jurídica (CONJUR):
a) Dra Lívia Cardoso Viana Gonçalves (titular); e
b) Dra Milena Maria Bessa de Medeiros (suplente);

III - representantes da Secretaria de Coordenação e Organização Institucional (SEORI):
a) Dra Luciana Castro Rodrigues (titular); e
b) Dra Marília Andrade Fidalgo Cunha (suplente);

IV - representantes do Comando da Marinha:
a) CMG RM1-FN Jefferson de Souza Oliveira (titular);
b) CMG RM1 Gilvan Alves Borges (suplente);
c) CF Hebert Orempuller do Nascimento (titular);
d) CF Aristide de Carvalho Neto (suplente);
e) CF RM1 Adjahy Assis Gouveia Junior (titular);
f) CC José Waldez Guimarães Junior (suplente); e
g) CT Virgílio Ornellas (suplente);

V - representantes do Comando do Exército:
a) Cel Pedro José da Silva Neto (titular);
b) Cel Evandro da Silva Soares (suplente);
c) Maj Fernando de Farias Ferreira (titular); e
d) Cap Luiz Adolfo Sodré de Castro Júnior (suplente);

VI - representantes do Comando da Aeronáutica:
a) Cel Av R1 Dixmer Vallini Júnior (titular);
b) Cel Inf Aer R1 Jairo Nogueira Lemos (suplente);
c) Ten Cel Av Mauro Roberto Chaves Pinto (titular); e
d) Ten Cel Av Alexandre Barbosa Cunha (suplente).

Art. 3º Caberá ao GT subsidiar a participação do Ministério da Defesa no Grupo de Trabalho Interministerial (GTI) a ser instituído para elaborar minuta de decreto para regulamentar a Lei nº
12.527, de 2011.

Art. 4º As reuniões poderão contar com a participação de técnicos e assessores, mediante solicitação dos integrantes ao Coordenador do GT.

Art.5º A participação no GT não ensejará qualquer remuneração para os seus membros e os trabalhos nele desenvolvidos serão considerados como prestação de relevante serviço público.

Art. 6º O GT terá prazo de noventa dias, a contar da data de publicação desta Portaria, para o cumprimento de sua finalidade.

Art. 7º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

CELSO AMORIM



Outras coberturas especiais


Presidência da República

Presidência da República

Última atualização 21 NOV, 02:00

MAIS LIDAS

Especial DitaBranda