18 de Janeiro, 2013 - 09:43 ( Brasília )

Defesa

Mais duas operações do Projeto Rondon começam esta semana no Nordeste


Quarenta municípios do Nordeste brasileiro recebem, a partir desta sexta-feira (18), integrantes do Projeto Rondon que vão realizar as operações “2 de Julho”, no estado da Bahia, e “São Francisco”, em Sergipe e Alagoas. As ações terão foco nas áreas de cultura, direitos humanos, justiça, educação, saúde, comunicação, tecnologia, meio ambiente e trabalho.

As duas operações contam, ao todo, com 800 “rondonistas” – como são chamados os participantes. Eles trabalham divididos em equipes multidisciplinares. Desta vez, os professores e estudantes são de cursos como engenharias (civil e ambiental), veterinária, biologia, pedagogia, turismo, direito, fonoaudiologia, agronomia, enfermagem, administração e psicologia.

Coordenado pelo Ministério da Defesa, com apoio das Forças Armadas, o projeto visa à integração social entre estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população. Foi criado em 1967 e leva o nome do marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, sertanista brasileiro.

Além das duas ações, está em andamento desde o dia 11 a operação “Canudos”, nos estados de Pernambuco, Piauí e Bahia.

Operação 2 de Julho

De 18 deste mês até 3 de fevereiro, equipes de “rondonistas” estarão na Bahia para a operação “2 de Julho”. Segundo o coordenador regional da atividade, capitão de mar e guerra Anderson de Oliveira Mendes, apesar de já ter acompanhado o projeto em oportunidades anteriores, “cada Rondon é um Rondon”.

Para ele, a iniciativa proporciona aos participantes o contato com outras regiões do país, onde “veem a pobreza e a riqueza dos brasileiros” e faz com que os estudantes voltem para casa mais conscientes.

Sobre isso, a professora da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Mariza Fordellone Rosa Cruz, diz que o trabalho no Rondon “é muito bom e envolvente” e tem gerado um interesse grande nos estudantes. A docente, que nesta operação coordena oito alunos da universidade, explica que chega a cem o número de candidatos para a seleção. “Damos palestras na universidade sobre o projeto, onde chamamos ex-integrantes”, conta.

Esta é a quarta vez que a UENP envia equipes ao Rondon. Na “2 de Julho”, os alunos da instituição vão desenvolver atividades de pecuária e agricultura no município de Ubaíra, distante cerca de 270 km da capital Salvador. “Capacitaremos profissionais para aumentar a produção de hortifruti e laticínios, como requeijão”, conclui a professora. Os “rondonistas” realizarão, também, ações voltadas à coleta de lixo.

Todo o apoio logístico está a cargo do 19º Batalhão de Caçadores, localizado em Salvador (BA).

Municípios beneficiados: Acajutiba, Amélia Rodrigues, Anguera, Aramari, Amargosa, Brejões, Cabaceiras do Paraguaçu, Capim Grosso, Cipó, Coração de Maria, Crisópolis, Irará, Itaquara, Mutuípe, Pé da Serra, Santa Bárbara, Santa Inês, Tanquinho, Teodoro Sampaio e Ubaíra.

Cerimônia de abertura: dia 19/01, às 11h, no Centro de Convenções do Hotel Fiesta Bahia em Salvador.

Operação São Francisco

“Plantar uma semente em termos de educação”. Esse é o papel principal do Projeto Rondon, na opinião do capitão de mar e guerra Alexandre César Pimentel Guimarães. À frente da operação “São Francisco”, ele afirma, também, que o maior fruto da iniciativa é fazer com que os estudantes entendam a importância do conhecimento e desenvolvam noções de liderança.

Durante a “São Francisco”, os “rondonistas” ficarão em municípios de Sergipe e Alagoas no período de 19 de janeiro a 4 de fevereiro e contarão com o apoio do 28° Batalhão de Caçadores, localizado em Aracaju (SE).

Uma das instituições de ensino superior participante é a Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em Santa Catarina. O coordenador da equipe de alunos da faculdade, professor Pedro Floriano dos Santos, conta que a Univali “tem uma vasta história de participação no projeto”. De acordo com ele, desde 2009 o centro universitário já enviou mais de 20 grupos de estudantes para o Rondon. “Está é a minha 15ª operação”, afirmou Santos.

O foco das ações dos alunos da faculdade catarinense será em economia sustentável e geração de renda. Eles ficarão no município sergipano de Ribeirópolis (a 75 km da capital Aracaju) e irão organizar o centro comercial da cidade, que segundo o professor, “não está em funcionamento”.

Municípios beneficiados: Em Sergipe – Campo do Brito, Carmópolis, Frei Paulo, Japaratuba, Malhador, Monte Alegre de Sergipe, Neópolis, Poço Verde, Propriá, Ribeirópolis, Santo Amaro das Brotas e Simão Dias. Em Alagoas: Batalha, Major Isidoro, Pão de Açúcar, Piranhas, Santana do Ipanema, São Sebastião, Taquarana e Teotônio Vilela. Cerimônia de abertura: dia 21/01, às 19h, no Teatro Atheneu (Rua Vila Cristina, s/n°) em Aracaju.


Acesse a página do Projeto Rondon para acompanhar as operações