03 de Abril, 2007 - 12:00 ( Brasília )

Defesa

Apagão Aéreo Desmilitarizar é desprofissionalizar


Claudio Candiota Filho*


A solução encontrada pelo governo federal para acabar com o motim, além de quebrar a hierarquia militar, é impraticável. E não resolverá o problema. Ao contrário, vai agravá-lo. O que está ocorrendo é conseqüência da desmilitarização praticada na Infraero e no DAC (hoje Anac). A origem do caos está na fome por cargos que levou ao desmantelamento do Sistema de Aviação Civil. O sistema é um corpo, formado por órgãos, do qual faziam parte Infraero e DAC, que têm muitos cargos. Retirar órgãos do sistema é como retirar órgãos do corpo humano. Tiram-se rim, fígado, depois coração. Não há corpo que resista. Estamos assistindo à lenta agonia do Sistema de Aviação Civil. Agora, será retirado mais um órgão: controle de tráfego aéreo. Teremos a morte do sistema pela falência múltipla de órgãos. Profissionais que administravam a Infraero e o DAC foram, sem planejamento algum, substituídos por militantes políticos sem conhecimento técnico. Agora, se irá aplicar fórmula semelhante aos controladores de vôo. Ninguém perguntou, através de pesquisa, quantos querem e quantos não querem ser desmilitarizados. É tudo conversa. Não é crível que 90% dos militares (controladores) queiram deixar de ser militares. Sabe-se da existência de meia dúzia de sindicalistas influenciando meia dúzia de sargentos. De concreto, como de hábito, o governo federal não sabe nada.

Para desmilitarizar é necessário planejar. E, se a maioria resolver continuar militar, quem vai cuidar do tráfego aéreo civil? Pelo que se sabe, são necessários mais de 3 mil controladores para o tráfego civil. Há questões não respondidas. Quantos controladores são necessários para atender um e outro tráfego? Quantos faltam e quanto tempo leva para formar e treinar os que faltam? São questões óbvias para as quais o governo não tem respostas. Há solução mais fácil de ser implementada: "Projeto de Lei - PL 4.991 - Plano de Carreira dos Suboficiais e Sargentos da Aeronáutica", que se arrasta no Congresso. Aprovado, estará resolvida a questão salarial. Esse plano teria evitado a evasão de controladores. Aplicado poderá estancar a fuga e atrair de volta profissionais treinados que foram trabalhar em outras áreas.

Detalhe: resolver o problema dos controladores não acabará com o caos aéreo. O caos irá continuar, porque os outros órgãos, já desmilitarizados, continuarão desprofissionalizados. Os controladores, assim como os consumidores, são vítimas do loteamento de cargos e do esquartejamento do Sistema de Aviação Civil. A aviação é o meio de transporte mais seguro do mundo porque não prescinde de profissionalização, disciplina e, principalmente, hierarquia. Essa última, seja na aviação militar, seja na civil, é a espinha dorsal do sistema. O governo federal acabou com a hierarquia. Tudo irá desabar. As vítimas do desabamento serão as mesmas de sempre: os consumidores.

* Presidente da Associação Nacional em Defesa dos Direitos dos Passageiros do Transporte Aéreo (Andep)