17 de Setembro, 2012 - 10:00 ( Brasília )

Defesa

BOEING - 80 anos no Mercado Brasileiro

Donna Hrinak - Ao comemorar 80 anos de Brasil estamos olhando para o futuro e para tudo que podemos construir juntos nos proximos 80 anos

No Dia 12 de Setembro, no Clube de Engenharia em Brasília a Boeing recebeu convidados da área governamental e seus parceiros comerciais e industriais no Brasil para comemorar os seus 80 anos de contatos com o Brasil.

Coube ao Brigadeiro Moretti Bermudez, Comandante do VI COMAR, representar o Comandante da FAB, Brigadeiro Saito.

Pela Boeing além da Presidente da área Brasil Donna Hrinak, Al Bryant, Joe McAndrew e Tom De Wald.

As empresas aéreas estavam representadas por Paulo Kakinoff, desde o início do ano Presidente da GOL, maior usuária de jatos B737 na América Latina.

Os principais mercados Defesa e Comercial estavam presentes em dois grandes paineis, um com o B737MAX e outro com o F/A-18 Super Hornet, que compete no Programa F-X2 da FAB.

Também presente ao evento o embaixador Thomas Shannon liderando os representantes diplomáticos da Embaixada Americana.

Nota Boeing:

Em 14 de Setembro de 1932, a Boeing e o governo brasileiro começaram a construir uma história sólida de parceria com a entrega dos caças F4B-4. As aeronaves chegaram ao país de navio no Rio de Janeiro e foram entregues para o governo brasileiro, pois na época ainda não havia sido constituída a Força Aérea Brasileira. As aeronaves foram distribuídas entre a marinha e o exército brasileiro. Desde então, a Boeing tem mantido um relacionamento produtivo com o Brasil. Atualmente, o Boeing F/A-18E/F Super Hornet está na competição do Programa F-X2 das Forças Armadas Brasileiras, que planejou a compra de 36 aviões caças.

Na área comercial, a Boeing fez sua primeira entrega para o Brasil em 7 de Junho de 1960 – um 707 para a VARIG. Desde então, a empresa entregou aproximadamente 177 aviões comerciais, incluindo aviões de carga, para 13 companhias. Este ano, a empresa divulgou em sua previsão anual para o mercado de aviação, apresentada anualmente em Farnborough, Inglaterra, que espera registrar  ao longo dos próximos 20 anos um crescimento anual de 20% em vendas na América Latina e o mercado brasileiro, que naturalmente está inserido nesse contexto, é o mercado com maior representatividade na América Latina.

 No setor de biocombustível para aviação, a Boeing está servindo como um catalisador para o setor, incluindo o recrutamento de empresas áreas brasileiras para o Grupo de Usuários de Combustível Sustentável para Aviação (SAFUG). Em outubro de 2011, a Boeing, a Embraer e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) anunciaram um acordo de colaboração de longo prazo para pesquisa e desenvolvimento de biocombustíveis para aviação, o que representa mais um grande passo para a criação de uma indústria de biocombustíveis sustentáveis para aviação no Brasil.

A Boeing também está presente no ensino brasileiro. Em dezembro de 2011, anunciou o financiamento de bolsas de estudo para 14 estudantes de Engenharia Espacial e Aeronáutica para ficar um ano nas Universidades dos Estados Unidos, em parceria com a Comissão Fulbright do Brasil. Esse programa de bolsas em todo o país, parte da iniciativa Ciência sem Fronteiras lançada pelo Governo brasileiro, busca fortalecer e expandir as iniciativas de ciência e tecnologia, inovação e competitividade por meio de oportunidades crescentes para educação internacional. A Boeing também apoiou os estudantes brasileiros fornecendo-lhes mentores e trabalhando com as universidades que frequentam para engajá-los em projetos que enriqueceram suas experiências educacionais.

Em 2011, a Boeing abriu dois escritórios no Brasil (São Paulo e Brasília) ampliando a atuação da empresa no país e afirmando seu compromisso de que está no Brasil para ficar.