28 de Agosto, 2012 - 13:00 ( Brasília )

Defesa

Clinton cobra do Brasil ações para a defesa da Amazônia

Em palestra em Fortaleza, ex-presidente dos EUA diz que "o mundo todo está de olho" nas ações ambientais do País

Lauriberto Braga


Na capital cearense para uma palestra de 90 minutos sobre sustentabilidade global para 2 mil pessoas, a convite da Universidade de Fortaleza (Unifor), o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton declarou amor ao Brasil, mas cobrou do País mais ações em defesa do meio ambiente, em especial da Amazônia, e da produção de energia limpa.

"O que o Brasil está fazendo em relação ao meio ambiente, o mundo todo está de olho", afirmou. Ainda sobre esse tema, Clinton disse que a Floresta Amazônica produz 20% do oxigênio do planeta, mas está sofrendo com a degradação. "Os agricultores de cana-de-açúcar empurram os pecuaristas para a floresta", disse.

Apesar das cobranças, o ex-presidente americano foi diplomático e fez vários elogios ao Brasil, principalmente à recuperação da economia e à diminuição das desigualdades sociais. "O Brasil foi um dos poucos países que tiveram, na última década, um crescimento robusto e um declínio na desigualdade", destacou.

Outro tema levantado por ele foi a participação brasileira na reconstrução do Haiti. "O Brasil foi fundamental à sobrevivência do Haiti", afirmou.

O americano resumiu os problemas do mundo em três categorias: "instabilidade e incertezas; desigualdade; e modelo insustentável pelo clima". "Um dos grandes problemas do mundo é produzir energia limpa."

Ele também apontou o terceiro setor como fundamental para resolver os grandes problemas mundiais nas áreas de saúde, educação e meio ambiente. "O terceiro setor estreita os laços onde o governo não chega e onde o privado não atua", disse, reforçando que esses três setores devem ser fortes para que um país seja desenvolvido.

"Devemos sempre debater duas coisas: o que você vai fazer e quanto você vai gastar para fazer", afirmou. Segundo o ex-presidente, "não importa quanto dinheiro você tem; o importante é como você vai fazer para mudar a vida das pessoas".

Clinton não falou sobre as eleições presidenciais americanas deste ano, mas lembrou que, quando presidente (1993-2001), conseguiu "economizar muitas florestas", o que disse ter sido "nossa maior contribuição".

Ontem à noite, Clinton faria outra palestra em Belém (PA), no 19.º Congresso Brasileiro de Contabilidade.