06 de Junho, 2012 - 09:07 ( Brasília )

Defesa

Forças Armadas e ONU assumem o Riocentro, sede da conferência Rio+20


O território que compreende o Riocentro, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro, transformou-se no perímetro da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante os próximos 25 dias, o local será o centro da Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

A entrega do local à ONU aconteceu nesta terça-feira, durante cerimônia ocorrida no centro de convenções, no Rio, e no Palácio do Planalto, em Brasília, e transmitida ao vivo pela EBC. Com a medida, os pavilhões internos passam a ser controlados pela segurança da ONU e por 1,2 mil militares da 4ª Brigada de Infantaria Motorizada, sediada em Juiz de Fora (MG) e deslocada para a capital fluminense especialmente para o evento.

A cerimônia marcou também as comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente. Na mesma oportunidade, a presidenta Dilma Rousseff esteve à frente de solenidade que marcou o início da Rio+20. Na companhia do vice-presidente Michel Temer, da presidenta interina da Câmara dos Deputados, Rose de Freitas, de ministros e ambientalistas, todos instalados no Salão Nobre do Palácio do Planalto, Dilma Rousseff pôde acompanhar o hasteamento das bandeiras do Brasil, da ONU e da conferência, no Riocentro.

Segurança da Rio+20

Enquanto isso, o reforço da segurança na parte externa do Riocentro ficará a cargo da Brigada Paraquedista, que contará com o apoio da Polícia Militar e da Guarda Municipal. O general Rêgo Barros, comandante da 4ª Brigada, informou que os cinco pavilhões passaram por vistoria, inclusive com o objetivo de detectar material explosivo. Isso para que os cerca de 30 mil delegados que participarão da Rio+20 circulem com segurança pelos locais.

As tropas começaram a mobilização no fim de semana, quando os militares da 4ª Brigada iniciaram a ocupação do Riocentro. A manobra oficial, no entanto, se dá a partir do instante em que as Nações Unidas ocupam o Riocentro.

As principais reuniões serão realizadas a partir do dia 13 de junho, no âmbito do comitê preparatório. Entre 16 e 19 de junho acontecem os “Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável”. A programação será encerrada entre os dias 20 e 22 de junho, com a participação de cerca de 120 chefes de Governo e Estado.

A segurança das autoridades e o patrulhamento numa região de 50 quilômetros do Rio de Janeiro está sob responsabilidade do Ministério da Defesa, sob a coordenação do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA). A parte operacional ficará a cargo do Comando Militar do Leste (CML), com apoio da Marinha, do Exército e da Força Aérea Brasileira (FAB).

O patrulhamento fluvial e marítimo está sob a responsabilidade da Marinha, a área territorial fica por conta do Exército e o controle do tráfego aéreo pela FAB. Nesse período que antecede a Rio+20, os treinamentos são intensificados. Ontem (04), na Base Aérea de Santa Cruz, pilotos do 1º Grupo de Caça participaram de manobras com vista à segurança do tráfego aéreo.

Para o comandante do 1º Grupo de Caça, tenente coronel Marco Antonio Fazio, a equipe está devidamente preparada para entrar em ação. De acordo com Fazio, entre os dias 18 e 23 de junho, o espaço aéreo no Riocentro somente dará acesso às aeronaves autorizadas pelo centro de controle de voo.

“As áreas estão definidas. Entre 2 e 7 milhas do Riocentro nenhuma aeronave poderá circular. Isso porque teremos deslocamentos de chefes de Estado e de Governo”, contou. O Grupo de Caça terá aviões F-5 M – de alta performance – e Super Tucano, de baixa performance. As aeronaves virão da Base Aérea de Boa Vista, Rondônia. O grupo empregará também caças AMX e aviões radares.

Preparativos finais  

As autoridades militares acreditam que os mecanismos de segurança começarão a ser ampliados a partir da próxima semana, quando se iniciam os eventos ligados à Rio+20. Além do encontro no Riocentro, haverá a Cúpula dos Povos, no Aterro do Flamengo, bem como atividades paralelas no Parque dos Atletas e na Arena HSBC – ambas ficam localizadas nas proximidades do pavilhão de exposições.

Paralelamente, operários trabalham para que a estrutura esteja montada até o fim desta semana. Hoje, no Riocentro, funcionários efetuavam alguns ajustes nos estandes e no setor de credenciamento. O auditório situado no Pavilhão 5, onde acontecerão as reuniões dos chefes de Estado e de Governo, passa pelos retoques finais.

O mesmo ocorre na área de credenciamento e na entrada principal do Pavilhão 1, a entrada principal das delegações. Nesse instante, os detectores de metal estão sendo ativados e o piso do local recebe revestimento de carpete.