07 de Maio, 2012 - 23:20 ( Brasília )

Defesa

Brasil e Turquia estreitam cooperação no setor de Defesa


São Paulo, 07/05/2012– Os ministros da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e da Turquia, Ismet Yilmaz, manifestaram hoje o interesse de estreitar a cooperação bilateral na área de defesa entre os dois países. Os ministros se encontraram nesta manhã, na sede do Comando Militar do Sudeste, na cidade de São Paulo, em evento que marcou o início da visita oficial que o representante turco e comitiva fazem ao Brasil esta semana.

Durante o encontro, que teve a participação dos comandantes das três Forças Armadas brasileiras e de oficiais militares turcos, os ministros trataram de diversos temas, com foco nas oportunidades de parceria no setor industrial de produção de equipamentos militares. “Temos excelentes possibilidades de cooperação e de desenvolver projetos conjuntos, e sua visita é a demonstração do interesse do seu país”, afirmou Celso Amorim, dirigindo-se ao ministro turco.

Amorim fez um breve relato das mudanças que vêm ocorrendo na Defesa brasileira, pontuando que as prioridades do país nesse campo estão focadas na cooperação com as nações sul-americanas e na execução de ações com o objetivo de dotar as Forças Armadas brasileiras de real capacidade dissuasória e de defesa das riquezas nacionais.

Na avaliação do ministro brasileiro, embora estejam situados em cenários geopolíticos distintos, Brasil e Turquia possuem necessidades semelhantes de Defesa. Segundo ele, ambos os países buscam o desenvolvimento de projetos militares modernos, com capacitação nacional e tecnologia autônoma, em setores como o naval, aeroespacial, fabricação de blindados, defesa cibernética e veículos aéreos não tripulados (vants), entre outros.

Como parte das iniciativas de estreitamento da cooperação bilateral, Amorim informou ao ministro turco que, antes do final deste ano, o Ministério da Defesa fixará no país um adido militar brasileiro. Ele também ofereceu vagas a militares turcos em unidades militares especializadas, tais como o Centro de Guerra na Selva do Exército, na Amazônia.

Os dois ministros trataram também, durante a visita, da possibilidade de ampliação da participação de oficiais em cursos oferecidos pelas forças armadas dos dois países. O ministro turco agradeceu a oferta brasileira e manifestou especial interesse na área aeroespacial, no desenvolvimento de vants e no setor de defesa cibernética. “Os ataques cibernéticos muitas vezes geram mais danos do que os ataques convencionais”, afirmou Yilmaz.

Além da participação de oficiais turcos e dos comandantes das três Forças Armadas brasileiras – almirante Júlio de Soares Neto, da Marinha; general Enzo Peri, do Exército; e brigadeiro Juniti Saito, da Aeronáutica –, estiveram no encontro o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general José Carlos De Nardi, o secretário de Produtos de Defesa do Ministério, Murilo Barbosa, e o embaixador da Turquia no Brasil, Ersin Erçin.

Ao final do encontro, os ministros assinaram uma carta de intenções (em PDF) em que expressam o interesse mútuo na troca de experiências e no desenvolvimento de parcerias no setor industrial de defesa.



CARTA DE INTENÇÕES

O Ministério da Defesa Nacional da República da Turquia e o Ministério da Defesa da
República Federativa do Brasil,

Enfatizando seu comprometimento com os objetivos e princípios da Carta das Nações Unidas;

Acreditando que a atmosfera de mútuo entendimento, confiança e cooperação nas
relações internacionais devem ser fortalecidas; e

Considerando as provisões do “Acordo sobre Cooperação em Assuntos Relacionados à Defesa entre o Governo da República da Turquia e o Governo da República Federativa do Brasil”, datado de 14 de agosto de 2003,

Concordam e mostram a intenção de formalizar futuras atividades de cooperação
nas seguintes áreas:

- Aumentar as visitas mútuas dos Ministérios da Defesa dos dois países,
- Trocar experiências e lições sobre assuntos de Defesa,
- Desenvolver cooperação entre as indústrias de defesa dos dois países, incluindo transferência de tecnologia e projetos conjuntos.

A cooperação deverá ser realizada levando em consideração os interesses e as
necessidades mútuas, baseada na reciprocidade.

A presente Carta de Intenções não constitui compromisso juridicamente vinculativo, quer no âmbito da legislação doméstica, quer no âmbito do direito internacional.

Feita em , em de maio de 2012, em dois originais nos idiomas turco, português e inglês, sendo os textos igualmente autênticos.

ISMET YILMAZ
Ministro da Defesa Nacional
da República da Turquia

CELSO AMORIM
Ministro da Defesa
da República Federativa do Brasil

DefesaNet

Matérias relacionadas:

Brasil e Turquia iniciam conversas sobre potencial parceria na área de defesa - 29 de Março, 2012

Emb. SHANNON - Acordo de BRASIL e TURQUIA com IRÃ era 'INSUFICIENTE'  - 06 de Maio, 12:25

Dominó Árabe - Brasil rejeita entrega de armas à oposição síria, diz ministra  - 28 de Fevereiro, 2012

Para Brasil, pacto com Irã continua valendo - 16 de Fevereiro, 2012

Brasil reduz em 73 porcento o comércio com os iranianos durante o governo Dilma - 09 de Janeiro, 2012

A Equação Turca - Egito, Marrocos, Tunísia: os islamitas seguem passos turcos - 02 de Dezembro, 2011