28 de Abril, 2012 - 11:00 ( Brasília )

Defesa

CONSELHO NACIONAL DE OFICIAIS R/2 DO BRASIL - Mensagem Presidente


 
CONSELHO NACIONAL DE OFICIAIS R/2 DO BRASIL - 15 ANOS
 
MENSAGEM DO PRESIDENTE

 
       Nos dias 21 e 22 de abril de 1997, a então denominada Associação dos Ex-Alunos do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro realizou o 1º Encontro Nacional de Oficiais da Reserva (R/2) do Exército Brasileiro - I ENOREx.

No quartel do CPOR/RJ, na Avenida Pedro II, no bairro imperial de São Cristóvão, reunimos, num memorável Encontro, as delegações das seis Associações de Oficiais R/2 existentes no país: Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Belo Horizonte, Porto Alegre e Petrópolis. Como convidada, uma representação da Sociedade de Amigos do CPOR de São Paulo.

No ano anterior, a Associação do Rio de Janeiro havia promovido o 1º Ciclo de Palestras para Atualização de Oficiais R/2, com o apoio do Departamento de Ensino e Pesquisa, da Diretoria de Formação e Aperfeiçoamento e do CPOR do Rio de Janeiro. Realizado em três finais de semana, o Curso reuniu cerca de oitenta Oficiais R/2 e, em seu encerramento, o Chefe do DEP, General de Exército Gleuber Vieira, dirigiu ao Presidente da Associação as seguintes palavras:

     “Tenente Monteiro, sugiro que a Associação de Oficiais R/2 do Rio de Janeiro promova uma reunião entre as diretorias das cinco entidades congêneres em atividade no país, visando uma desejável integração entre elas. Quem sabe, desse Encontro surja uma organização nacional que possa atuar como elo entre as Associações e o Exército.”

Missão dada, missão cumprida. Graças à extraordinária visão estratégica do General Gleuber, cerca de 180 (cento e oitenta) Oficiais R/2 de todo o país, participantes do I ENOREx, decidiram, em Assembléia Geral realizada em 22 de abril de 1997, por unanimidade, criar o Conselho Nacional de Oficiais R/2 do Brasil.

Parece que foi ontem, mas quinze anos se passaram. O tempo é inexorável. Muitos daqueles Oficiais que participaram da criação do CNOR permanecem conosco. Alguns, entretanto, partiram e hoje os reverenciamos como exemplos de soldados que dignificaram o uniforme verde-oliva e de cidadãos que honraram seu país.
    
É verdade que nossos cabelos embranqueceram. Também é verdade que muitos de nós já não têm o mesmo vigor físico. Mas o ideal que nos impulsionou no cumprimento da missão, permanece imutável. A grandeza do Brasil é o objetivo da Oficialidade R/2. E o Exército Brasileiro, nosso comandante, condutor e guia.
    
Há quinze anos, éramos seis Associações. Hoje, graças ao excelente trabalho desenvolvido pelas sucessivas Diretorias do CNOR e de suas filiadas, temos dezoito entidades regionais atuando em perfeita consonância com as diretrizes do Conselho Nacional. Atualmente temos mais de dez mil Oficiais R/2 cadastrados, atuando intensamente como formadores de opinião no segmento civil da sociedade brasileira.
    
Os Encontros Nacionais se multiplicaram. De Manaus a Porto Alegre, realizamos anualmente o nosso tradicional ENOREx, com uma média de participação de quase trezentos Oficiais R/2. Este ano, estaremos reunidos no 14º Encontro, em Recife, de 24 a 30 de setembro.
   
As dificuldades para o crescimento das nossas organizações são bem conhecidas. Faltam-nos recursos humanos e financeiros para as Diretorias, o que tem sido enfrentado com a dedicação, o esforço e a competência de inúmeros companheiros cuja participação é fundamental para o sucesso da missão. Como presidente do Conselho Nacional, na impossibilidade de nominá-los, registro o meu comovido agradecimento aos Diretores e ex-Diretores do CNOR, nos quais simbolizo a gratidão a todos que, ao longo destes quinze anos, deram a sua inestimável contribuição para o engrandecimento das nossas entidades.
  
Ao Exército Brasileiro, que um dia nos acolheu ainda meninos e nos transformou em Oficiais e em líderes, dedicamos os nossos mais nobres sentimentos de afeto,  gratidão, respeito, apoio, consideração e solidariedade. Somos a sua Reserva, sempre atenta e cada vez mais forte. Estamos e estaremos sempre prontos a atender aos comandos dos nossos chefes. O Exército Brasileiro, historicamente invencível, jamais se deixará derrotar. E se algum dia, o inimigo se atrever a desafiá-lo, seus soldados da Ativa e da Reserva repetirão Mallet em Tuiutí: “Eles que venham! Granada e Metralha, espoletas a meia dúzia segundos! Por aqui eles não passam, por aqui não entram”
 
  
Rio de Janeiro, 26 de abril de 2012
 
Sérgio Pinto Monteiro - 2º Ten R/2 Art
              Presidente do CNOR
      
             “14º Encontro Nacional de Oficiais da Reserva do Exército
                                 Recife, de 24 a 30 de setembro”
    
        “Patriotismo, União, Lealdade, Trabalho - Assim Atua a Reserva Atenta e Forte”

Contato

Tenente Monteiro
monteirosp007@hotmail.com