09 de Abril, 2012 - 19:00 ( Brasília )

Defesa

RAFAEL aprofunda suas atividades no Brasil - compra ações da GESPI


A empresa Rafael - Sistemas Avançados de Armamento Ltda. adquire 40% das ações da empresa brasileira GESPI – Aeronáutica, como parte de seu projeto de expansão nas atividades indústria-comércial no Brasil.
 
Por mais de 60 anos, a Rafael desenvolve e fabrica os sistemas mais avançados de defesa e segurança e oferece a mais ampla gama de soluções inovadoras com respeito a tecnologia global – naval, terrestre, aéreo e até mesmo espacial.
 
A Rafael trabalha no mercado brasileiro há muitos anos e fabrica sistemas operacionais para as agências brasileiras de segurança.
 
A Rafael está trabalhando para expandir suas atividades nos mercados globais, adquirindo empresas, formando parcerias, tranferindo conhecimento para a produção local e alavancando o conhecimento tecnológico de sistemas avançados da Rafael, seguindo a política de autorização do país. A Rafael pretende fazer o mesmo no Brasil.
 
A empresa brasileira GESPI – Aeronáutica, que está localizada em São José dos Campos, em São Paulo, opera no mercado civil e de segurança há mais de 20 anos e entre seus clientes estão a Força Aérea, o Exército e a Marinha do Brasil.
 
Com relação ao acordo, é necessária aprovações prévia. A Rafael irá adquirir 40% das ações da empresa GESPI. Os executivos acionistas da GESPI continuarão em suas posições nas atividades, para garantir o crescimento e desenvolvimento contínuo da empresa parceira da Rafael.
 
Lova Drori, Vice-Presidente Sênior de Marketing da Rafael disse que"A aquisição da GESPI vai nos permitir implementar a política estratégica do governo brasileiro de transferência de tecnologia avançada e conhecimento para projetos do Ministério da Defesa do Brasil e várias agências de segurança de produção local, oferecendo oportunidades de emprego e de exportação para outros países”.
 
Drori acrescentou que “a reputação e os recursos existentes na GESPI permitirão realizar as metas e desafios que e as forças de segurança civil e militar enfrentam”.