08 de Abril, 2011 - 09:55 ( Brasília )

Defesa

Odebrecht cria empresa para atuar em defesa

Nova companhia quer concorrer com Embraer

Após comprar o controle da Mectron, fabricante de mísseis e produtos de alta tecnologia para o mercado aeroespacial, o grupo Odebrecht anunciou ontem a criação de uma empresa para atuar na área de defesa e segurança: a Odebrecht Defesa e Tecnologia.

"Queremos ser líder nesse mercado e disputar novos negócios em regiões em que o grupo Odebrecht já atua, como América Latina e África", diz Roberto Simões, que vai comandar a empresa.

A principal concorrente é a Embraer, que recentemente adquiriu a divisão de radares da empresa Orbisat para incrementar sua atuação.

Segundo o executivo, a ideia é reunir sob a Odebrecht Defesa e Tecnologia as iniciativas que já existem.

Uma delas é a parceria com a empresa francesa DCNS para implementar o complexo de estaleiro e base naval onde serão construídos e operados quatro submarinos convencionais e um nuclear para o governo brasileiro. O contrato vai até 2020 e movimenta entre R$ 6 bilhões e R$ 7 bilhões.

Outra iniciativa que ficará sob o comando da nova empresa é a criação de projetos, em parceria com EADS Defence & Security, para fornecer soluções integradas em sistemas para as Forças Armadas e para a segurança civil. "A joint venture prevê a criação de uma base industrial brasileira, mas operará também em outros países."

Simões diz que a nova empresa também tem interesse em expandir a atuação da Mectron para áreas como engenharia industrial e petroquímica. "A meta é crescer 20% ao ano."

CLAUDIA ROLLI