17 de Fevereiro, 2012 - 09:30 ( Brasília )

Defesa

CTEx - O Poder do Saber


Um sistema de radar portátil que pode rastrear até 40 alvos aéreos foi um dos vários equipamentos de alta tecnologia utilizados para manter a segurança dos atletas nos 5º Jogos Mundiais Militares, realizados em julho de 2011, no Rio de Janeiro.

O Sistema de Acompanhamento de Alvos Aéreos Baseado na Emissão de Radiofrequência, SABER M60, é o radar mais moderno no mundo em sua categoria, de acordo com o Exército Brasileiro. O radar SABER M60 foi fabricado com tecnologia 100 por cento brasileira.

“O radar SABER M60 foi empregado em apoio à vigilância aérea durante os 5° Jogos Mundiais Militares, à semelhança do que já havia ocorrido durante os Jogos Pan-americanos de 2007, tendo comprovado, uma vez mais, sua adequação para emprego em eventos dessa natureza”, comentou o Coronel Roberto Castelo Branco Jorge. O assessor da subchefia do Centro Tecnológico do Exército Brasileiro (CTEx) conta que o órgão desenvolveu esta tecnologia para complementar a defesa antiaérea brasileira, uma vez que muitas aeronaves escapam dos radares tradicionais, que são voltados para maiores altitudes, em especial em regiões montanhosas.

O SABER pode detectar e seguir, ao mesmo tempo, até 40 alvos aéreos em um raio de 60 quilômetros e a uma altitude de até 5.200 metros, além de helicópteros, aviões caça que voam a baixa altitude e objetos que se movem lentamente, a velocidades de até 32 quilômetros por hora. Desta forma, um flanco importante para a segurança do país fica protegido.

lém de busca e vigilância aérea de baixa altura, o aparato faz uma varredura mecânica que utiliza a técnica de emissões eletromagnéticas pulsadas, denominada pulso-Doppler. É resistente a interferências eletromagnéticas e possui baixa potência de transmissão, o que o torna muito discreto. Dispõe ainda de um identificador amigo-inimigo.

PORTABILIDADE

Com peso médio de 200 quilos, o SABER é facilmente mobilizado. São necessários apenas três soldados e cerca de 15 minutos para montar e colocar o sistema em operação. O sistema pode ser alimentado por energia elétrica ou operado por meio de baterias, e pode ser transportado por ar, água ou terra utilizando-se apenas um veículo leve. Sua portabilidade permite o uso em lugares de difícil acesso, como montanhas e telhados de edifícios.

O aparelho é conectado ao sistema de defesa antiaérea do Exército e é ligado a um centro de comando e controle instalado em um furgão, que também é fabricado pelo CTEx. A unidade antiaérea mais adequada para fazer a proteção recebe um alerta quando a ameaça é identificada pelo radar. Então, com apenas um clique de mouse, são revelados a posição do avião, altura, distância e o ângulo em relação ao centro de operações antiaéreas e um disparo é efetuado. O radar pode trabalhar integrado a uma rede de 12 diferentes armas. Para permitir a melhoria constante do aparelho sem a necessidade de modificações fundamentais em sua estrutura, o radar apresenta uma arquitetura flexível e que pode ser programada por hardware e software.

USO CIVIL
 

Mesmo tendo sido desenvolvido para uso estritamente militar, o SABER poder ser utilizado em tarefas civis. “O SABER M60 tem a capacidade de apoiar o controle de tráfego aéreo de área terminal em aeródromos de pequeno tráfego ou, ainda, ser um substituto eventual para o caso de indisponibilidade temporária do radar de área terminal fixo de um aeródromo de maior capacidade, pois o seu radar secundário tem alcance de cerca de 80 km e opera também nos modos A e C, usados na aviação civil”, explicou o Cel Castelo.

Além de sua avançada tecnologia e versatilidade, o SABER também tem a virtude de adaptar-se às condições naturais próprias de países como o Brasil, onde a selva é densa e úmida. De acordo com o Cel Castelo, as principais características que convertem este radar em uma ferramenta adequada para a proteção de ambientes como o da Amazônia são seu peso leve e dimensões reduzidas, que proporcionam a capacidade de ser transportável por aeronaves de asa fixa de pequeno porte, como o C-98 Caravan, da Força Aérea Brasileira, que requerem pistas de pouso curtas, ou ainda por helicópteros. Também foram escolhidas freqüências e técnicas de modulação do sinal mais adequadas a esse ambiente, ainda de acordo com o Cel Castelo.

Os pesquisadores do CTEx estão trabalhando atualmente no desenvolvimento de um radar SABER ainda mais avançado, o M200, que terá alcance de até 200 km e emprega o conceito de varredura eletrônica ativa por matriz de fases. Por isso, além das funções de vigilância, pode desempenhar outras missões como designação de alvos para sistemas de armas.

CTEx: Inteligência Pura

Com sede no Rio de Janeiro, Brasil, o Centro Tecnológico do Exército (CTEx) é o principal órgão encarregado de pesquisa e desenvolvimento de projetos tecnológicos para o Exército Brasileiro.

A instituição tem convênios com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), que proporcionam os recursos necessários para empreender projetos do porte dos radares SABER M60 e SABER M200.

O CTEx se transformou numa referência regional para outros países em termos de inovações tecnológicas e já desenvolveu aparatos de alta tecnologia militar, como veículos blindados, carros aerotransportados para pára-quedistas e monóculos de visão térmica. O veículo de reconhecimento militar Gaúcho, de fabricação argentina, por exemplo, foi desenvolvido com tecnologia do CTEx em colaboração com outros órgãos militares do vizinho sul-americano.
 

Artigo relacionado:
O tendão de Aquiles dos Vants? - Link