20 de Outubro, 2011 - 09:39 ( Brasília )

Defesa

Instituto Meira Mattos – Escola de Comando e Estado-Maior do Exército

Escola do Exército terá curso para civis

Praia Vermelha (RJ) – No dia 6 de outubro, em cumprimento à Diretriz do Comandante do Exército (2011-2014), o  Chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, General-de-Exército Rui Monarca da Silveira, assinou, nas dependências da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), a portaria de criação do Instituto Meira Mattos (IMM).

Trata-se de uma nova estrutura decorrente da evolução do Centro de Estudos Estratégicos da ECEME, voltada para os estudos em Ciências Militares e Defesa, possibilitando a realização de cursos de pós-graduação e a maior integração entre militares e civis nas áreas de pesquisa.

A escolha do nome do General Meira Mattos prestigia um dos maiores geopolíticos brasileiros do Século XX, soldado e acadêmico, com ação destacada na II Guerra Mundial como integrante da Força Expedicionária Brasileira; no comando da Academia Militar das Agulhas Negras; e comandante do contingente brasileiro na Força Armada Interamericana enviada pela Organização dos Estados Americanos para colaborar com a restauração da normalidade na República Dominicana.

Após a cerimônia de criação do IMM, os filhos do General Meira Mattos, Srª Maria Carolina Meira Mattos Vicente de Azevedo e Sr José Carlos Silva de Meira Mattos, inauguraram o acervo doado à Escola e que, a partir de então, ficará exposto no Espaço Cultural da ECEME.

Curso para civis

Embora a instituição seja subordinada ao Exército, os cursos serão abertos a alunos civis.

As regras do processo seletivo, assim como data das provas e número de vagas disponíveis, serão definidas até o final deste ano e anunciadas por meio do site da Eceme (www.eceme.ensino.eb.br).

Atualmente a unidade está selecionando os professores civis – o corpo docente militar já está definido – e tratando de oficializar o novo instituto perante a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), órgão federal que concede bolsas de estudo, avalia os cursos de pós-graduação e divulga a produção científica brasileira.

A direção do instituto tem 90 dias, contados a partir de sua criação, para inscrever seu regulamento na Capes.

Veterano de guerra. Carlos de Meira Mattos participou da 2.ª Guerra Mundial como capitão da Força Expedicionária Brasileira (FEB). Ao passar à reserva, dedicou-se a atividades acadêmicas e ao jornalismo.

Ele foi comandante da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), interventor federal no Estado de Goiás, vice-chefe do Gabinete Militar durante o governo do presidente Humberto Castello Branco, entre 1964 e 67), adido militar na Bolívia e vice-diretor do Colégio Interamericano de Defesa, em Washington, nos Estados Unidos.

Como acadêmico, o General Meira Mattos obteve a aprovação da tese de doutorado Ciências Políticas na Universidade Mackenzie de São Paulo, sendo autor de diversos livros de geopolítica e de vários artigos.

O general morreu no dia 26 de janeiro de 2007, aos 93 anos, depois de ficar internado mais de um mês após se submeter a uma cirurgia no abdômen, da qual não se recuperou.

Fonte: EB/Estadão