15 de Setembro, 2011 - 01:00 ( Brasília )

Defesa

Comando da Aeronáutica demonstra novo sistema de controle de voo ao ministro da Defesa

Novo software vai permitir maior segurança de voo e cobertura mais completa do território nacional

Brasília, 14/09/2011 — O ministro da Defesa, Celso Amorim, viaja nesta quinta-feira (15 de setembro) para Curitiba, sede do Cindacta 2, onde irá conhecer um software nacional, desenvolvido pela Atech — Negócios em Tecnologias S/A, que permitirá a cobertura completa do território nacional pelos quatro Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta). O Sistema Avançado de Gerenciamento de Informações de Tráfego Aéreo e Relatório de Interesse Operacional (Sagitário) permitirá o aumento da segurança de voo e uma maior economia para as empresas aéreas, que poderão ampliar o número de horários por aerovias.

O método tradicional usa varredura por radares para acompanhar o tráfego aéreo. Em algumas regiões, as árvores absorvem parte das ondas de rádio, diminuindo a eficiência do sistema. Para evitar esse fenômeno, o Sagitário agrega dados fornecidos por constelação de satélites (como o GPS, o Galileo e o Glonass), atualizando as informações disponíveis ao controlador em tempo real.

O Sagitário já foi implantado nos Cindacta 2 e 3 (sediado em Recife), que cobrem, respectivamente, as regiões Sul/Sudeste (responsável pela maior parte do tráfego aéreo brasileiro) e Nordeste (onde se controlam os voos internacionais rumo à África e Europa). O próximo passo será instalá-lo no Cindacta 1 (Brasília).

O novo software traz várias inovações em relação X-4000, empregado atualmente. Permite a sobreposição de imagens meteorológicas sobre a imagem do setor controlado, para acompanhar a evolução de mau tempo. Os planos de voo podem ser editados graficamente sobre o mapa possibilitando a inserção, remoção e reposicionamento de pontos do plano e cancelamento de operações. Isso permite ao controlador acompanhar melhor a evolução do que estava previamente planejado. Além disso, etiquetas inteligentes, por meio de cores diferentes de acordo com o nível de atenção para o cenário, indicam informações essenciais para o tráfego aéreo.

Segundo o presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (Ciscea), brigadeiro do ar Carlos Vuyk de Aquino, esse novo sistema vai permitir que o controlador de voo tenha muito mais ferramentas à sua disposição, de modo que possa, de forma mais objetiva, facilitar a vida do piloto e trazer mais segurança para o próprio operador ao tomar as decisões ou efetuar determinadas autorizações ao comandante da aeronave. “Em termos práticos, para quem viaja de avião, as ações decorrentes do sistema poderão reverter em menor tempo de voo, com consequente economia para a empresa aérea, menor emissão de gases e também acredito que possa refletir no aumento da pontualidade das empresas”, ressaltou.

A concepção avançada privilegia também a interação, diminuindo a fadiga do operador. “O Sagitário permite ao controlador executar todos os comandos necessários e todas as coordenações por meio do mouse. As cores da tela também foram estudadas para que não fossem agressivas nem cansativas”, explicou o presidente da Ciscea.

Cerca de R$ 9 milhões foram investidos no desenvolvimento do software. Outros R$ 15 milhões devem ser aplicados na implantação do sistema nas outras unidades de controle de tráfego, assim como para o treinamento dos operadores.

“Estamos no grupo que tem hoje a melhor filosofia de controle. Esse software é muito semelhante aos implementados na Alemanha e na Holanda. O elemento número um de todos os planejadores do controle do espaço aéreo é a segurança. Este item é inegociável. Portanto, eu posso afirmar que é seguro voar no Brasil”, complementou o brigadeiro Carlos Vuyk de Aquino.

.