18 de Janeiro, 2011 - 15:00 ( Brasília )

Defesa

Embraer Defesa e Segurança em negociações com a ATECH e ORBISAT


Nelson During
Editor-Chefe DefesaNet

A EMBRAER  Defesa e Segurança, nova unidade empresarial da empresa sediada em São José dos Campos está em negociações com duas tradicionais empresas da área de defesa do Brasil. Trata-se da ATECH e da ORBISAT.

DefesaNet obteve informações de que estão avançadas as negociações da EMBRAER Defesa e Segurança com as duas empresas para a formação de uma parceria estratégica. No momento estão sendo realizadas “due dilligence” nas duas empresas por empresas de auditoria contratadas.

O objetivo da EMBRAER em adquirir as duas empresas está voltado a dois  principais projetos do Brasil. O Sistema de Vigilância de Fronteiras (SisFron) de responsabilidade do Comando do Exército através do Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército  (CCOMGEX). Cobrirá a fronteira terrestre, em especial do centro-oeste, rota principal para o narcotráfico e contrabando de armas.  E o Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul ( SisgAAz) que está sendo desenvolvido para a proteção da área da chamada Amazônia Azul  e os recursos do Pré-Sal.

A empresa ATECH, um SpinOff do programa Sistema de Vigilância da Amazônia(SIVAM),  tem trabalhado em desenvolvimento de sistemas de comando e controle (C2), assim como de Controle de Tráfego Aéreo com trabalhos realizados no exterior. A  ATECH está realizando sob contrato os estudos preliminares da arquitetura e definição do SisFron.

Uma empresa subsidiária a ATMOS Sistemas está desenvolvendo com a SELEX Galileo a tecnologia de radares AESA. O radar  Raven ES-05 AESA para o SAAB Gripen NG, que participa do Programa F-X2.

A ORBISAT tem em seu portfólio dois produtos que serão a Base tanto do SisFron como do SisgAAz. Trata-se  do radar SABER para controle aéreo e seu derivativo, em desenvolvimento, para vigilância terrestre.

O Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul ( SisGAAz). Uma rede de radares e sensores eletrônicos que controlará o espaço aéreo da região da Amazona Azul. A área de cobertura do SisgAAz é imensa - cerca de 4,5 milhões de quilômetros quadrados, o equivalente à metade do território nacional.

E o guardião de patrimônio de  15,3 bilhões de barris de petróleo, 133 plataformas (86 fixas, 47 flutuantes) de processamento da Petrobrás, e os recursos investido na ordem de  US$ 224 bilhões.

Executivos das três empresas foram contados por DefesaNet mas não retornaram as ligações.