02 de Outubro, 2017 - 10:10 ( Brasília )

Defesa

Normatização do Atendimento Pré-Hospitalar Tático

É proposta durante I Simpósio de Medicina Tática do MD

Os participantes do I Simpósio de Medicina Tática do Ministério da Defesa (MD), realizado entre os dias 26 e 29 de setembro, na Escola Superior de Guerra (ESG), no Rio de Janeiro (RJ), elaboraram as propostas de criação de Portaria Ministerial para normatizar o Atendimento Pré-Hospitalar Tático (APHT) e sugeriram a exigência de um currículo nacional mínimo para a capacitação em APHT.

As propostas serão encaminhadas para a Chefia de Logística e Mobilização (CHELOG), do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA) para formulação. Em seguida, passarão por uma avaliação jurídica para posterior publicação.

O Simpósio foi realizado com objetivo de promover o debate sobre Atendimento Pré-Hospitalar Tático, em situações de conflitos, como Garantia da Lei da Ordem (GLO), desastres, operações de ajuda humanitária e em missões de paz, além de propor a normatização do tema. Foram promovidas ainda palestras e debates para nivelar o conhecimento dos participantes e grupos de trabalho se organizaram para formular as propostas normativas.

Encerramento

O chefe de Logística e Mobilização do Ministério da Defesa, almirante Leonardo Puntel, encerrou o evento e destacou a importância da troca de experiências entre os profissionais de saúde. “O Simpósio proporcionou um conhecimento interpessoal. Conhecendo as pessoas dos diversos hospitais de campanha das Forças e centros de medicina operativa. Isso realmente traz uma sinergia logística da área de saúde, principalmente da medicina tática que é um tema muito atual e importante”, afirmou Puntel.

Ao destacar a medicina tática, o almirante citou também a relevância do assunto num momento em que as Forças Armadas participam de Operações de Paz, como tropa ou como observadores em diversos países, tais como Haiti e Líbano. “Acidentes podem acontecer até mesmo em exercícios e adestramentos e o militar próximo ao acidentado pode ter uma parcela significativa para o salvamento de vidas humanas”, finalizou.

Além de representantes das Forças Armadas, participaram do Simpósio membros do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (CREMERJ), do Conselho Regional de Enfermagem (COREN-RJ), da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar (RJ).

Ministro da Defesa abre XIV Conferência de Segurança Internacional


A arquitetura de segurança, as ameaças cibernéticas globais, o combate ao tráfico internacional de drogas e os desafios da nova ordem mundial entraram em debate, nesta sexta-feira (29), no Rio de Janeiro, durante a XIV Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, proferiu o discurso de abertura, juntamente com o presidente do Parlamento Federal Alemão (Bundestag) e vice-presidente da Fundação Konrad Adenauer (KAS), Norbert Lammert, responsável pela organização do evento.

A edição 2017 da conferência, também sob coordenação do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI) e da Delegação da União Europeia no Brasil, teve como tema central “Arquitetura de Segurança: um intercâmbio entre América do Sul e Europa”. “Para o Brasil, o objetivo central de sua política de defesa é assegurar um ambiente de paz, cooperação e desenvolvimento em seu entorno estratégico: América do Sul, Atlântico Sul, costa oeste da África, Antártida, América Central e Caribe.

Nesse contexto, e com base nos elementos da arquitetura regional de segurança, há um movimento de aproximação de doutrinas e comparação de cenários, e surgiram projetos de integração regional de cadeias produtivas de defesa nos segmentos de aeronaves e navios fluviais e de patrulha costeira, além da assistência técnica em blindados”, ressaltou Jungmann em seu discurso.

O objetivo da XIV Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana foi aprofundar e difundir o debate nos temas de segurança e de defesa internacional, com o intuito de oferecer perspectivas sobre as principais questões da política de segurança internacional.

“Me permitam que utilize a língua desse País para transmitir uma mensagem de amizade, de conforto e de confiança. Nós sabemos bem que essa cidade vive hoje um momento de crise grave e que se manifesta em matéria de segurança. O tema dessa conferência é pertinente para muitas partes do nosso planeta nesses tempos que decorrem e, especificamente para o Rio de Janeiro, mas eu quero que saibam que nós confiamos que o Brasil e que o Rio de Janeiro vão superar este momento complexo e que encontrarão um caminho para um futuro de paz e tranquilidade”, declarou Norbert Lammert.



Fotos: Tomaz Silva/Agência Brasil