13 de Maio, 2017 - 09:30 ( Brasília )

Defesa

Um ano de governo: vamos cuidar de forma integrada da segurança e da defesa nacionais, diz ministro Jungmann


Os avanços obtidos pelo governo federal nos setores de segurança pública e defesa nacional nos últimos 12 meses vão ser mantidos de forma integrada. A afirmação foi feita nesta sexta-feira (12) pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, após reunião ministerial que teve por objetivo a prestação de contas do primeiro ano de gestão do presidente Michel Temer.

“Esse balanço é positivo. O Brasil volta aos trilhos. Nós vamos voltar a crescer. No segundo semestre teremos a redução do desemprego e também cuidaremos de forma integrada a questão da segurança pública e da defesa nacional”, disse Jungmann.

Para o ministro haverá “um reconhecimento de que este é um governo de coragem. Que tem conquistado avanços importantes e vai continuar a avançar pelo bem do Brasil”. A reunião ocorreu no Palácio do Planalto e foi conduzida pelo presidente Temer. Na abertura, foram exibidos vídeos que mostram as conquistas nos diversos setores do governo nos últimos 365 dias.
 

No discurso de encerramento da reunião, o presidente Temer defendeu as reformas que seu governo vem empreendendo. Num dos pontos da fala, ele lembrou a cena em que uma mulher, no Rio, portava cartaz dizendo que encontrava-se há três meses sem receber a aposentadoria estadual. “É isso que não vamos deixar acontecer”, afirmou.

Além das reformas em curso no Congresso Nacional, Temer destacou a recuperação financeira da Petrobras e os resultados financeiros do Banco do Brasil. O presidente informou que antes da reunião ministerial esteve numa agência da Caixa para verificar in loco o recebimento, por parte dos trabalhadores, de recursos do FGTS. Tal medida, segundo ele, irá injetar R$ 40 bilhões na economia.

Reunião ministerial

O cenário para a comemoração de um ano do governo Temer foi montado no salão nobre, no segundo andar do Palácio do Planalto. Logo no meio da manhã os ministros começaram a tomar seus lugares à mesa de reunião. Acompanhado pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), e pelo presidente em exercício do Senado, senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Temer desceu a rampa que dá acesso ao salão da cerimônia.
 

Couberam aos ministros da Fazenda, Henrique Meireles, e do Trabalho, Ronaldo Nogueira, os discursos referentes aos avanços na economia e na conquista de mais emprego. "O Brasil está mudando mais em um ano do que mudou em décadas", afirmou Meirelles, durante seu discurso na reunião ministerial convocada para apresentar os avanços nestes 12 meses de governo Temer.

No discurso, Meirelles recordou que o governo assumiu no meio da maior recessão da história recente do País. Neste cenário, foi preciso apresentar uma série de propostas para colocar a economia nos eixos. “O Brasil voltou a crescer. Estamos ainda vivendo os efeitos da recessão (...), mas o desemprego começará a cair a partir do segundo semestre”, observou.

Como reflexo das medidas, a economia já mostra sinais de recuperação, apresentando crescimento no primeiro trimestre do ano. O País, segundo Meirelles, recuperou a confiança de investidores, empresários e das famílias – uma retomada puxada pelas medidas implantadas pelo governo para modernizar o Brasil e a economia.

Indicadores econômicos

Para destacar a recuperação da economia, o ministro apresentou indicadores como o risco Brasil, que caiu de 500 pontos em maio do ano passado para pouco mais de 200 pontos. Além disso, citou termômetros importantes, como dólar em queda e bolsa em alta, que mostram que a base para o crescimento foi construída neste um ano de governo.

“Tudo isso dá base para a economia crescer. Isso é resultado do trabalho do seu governo, presidente Temer. O governo está enfrentando problemas fundamentais”, afirmou. “É um ano de muito trabalho, e os resultados estão aí”, completou.