28 de Abril, 2017 - 12:00 ( Brasília )

Defesa

Acordo beneficia Estratégia Nacional de Defesa


A assinatura de um Acordo de Cooperação entre Exército Brasileiro e Marinha do Brasil consolidou, no dia 26 de abril, um remanejamento patrimonial entre as duas Forças Armadas.

O Exército cedeu para a Marinha um terreno na região de Itaqui-bacanga, em São Luiz, Capital do Maranhão. Já a Marinha cedeu ao Exército dois imóveis nos Estados Unidos da América (EUA), em Washington, além de áreas em Belém (PA) e no Distrito Federal.

O Comandante do Exército, General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, afirmou que a iniciativa está alinhada com o momento de racionalização do Exército, fazendo o melhor uso das áreas sob sua administração, além de demonstrar o espírito de cooperação nas relações entre as Forças Armadas.

“Temos potencializado nossas capacidades e utilizado as nossas necessidades, no sentido de, mesmo com as restrições orçamentárias, desenvolvermos adequadamente os nossos projetos e a evolução de cada Força, sempre com um sentido crescente de integração”, reforçou.

A Marinha deverá construir, no terreno em Itaqui-bacanga, com cerca 412 hectares, uma base naval. “Na Estratégia Nacional de Defesa, está prevista uma intensificação das nossas atividades nas proximidades do Rio Amazonas.

Nós precisamos ter uma esquadra localizada ali”, explicou o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira. Ele também ressaltou que o Acordo demonstra o apoio mútuo entre as Forças: “representa, mais que tudo, a união que existe entre o Exército Brasileiro e a Marinha do Brasil”.

Como contrapartida, a Marinha oficializou a transferência, para o Exército, de dois imóveis nos EUA que já vinham sendo utilizados pela Comissão do Exército Brasileiro em Washington (CEBW), além de um terreno em Belém (PA), que está relacionado com a expansão da Força Terrestre, mais especificamente com a criação do Comando Militar do Norte.

“Ali, num local privilegiado, nós teremos condições de dar prosseguimento a um projeto estratégico da mais alta qualidade, em que priorizamos, também, a Amazônia Oriental”, situou o Chefe do Departamento de Engenharia e Construção, General de Exército Oswaldo de Jesus Ferreira.

No Distrito Federal, o Exército receberá da Marinha uma área a ser definida, próxima à Região Administrativa de Santa Maria (DF). O Diretor de Patrimônio Imobiliário e Meio Ambiente do Exército, General de Brigada Antonio César Alves Rocha, avaliou o acordo como “uma tratativa exitosa tanto para o Exército Brasileiro quanto para a Marinha”, pois as áreas cedidas e recebidas são equivalentes em tamanho e valores. “Foi um equilíbrio patrimonial completo, excepcional para ambas as Forças”, acrescentou.