25 de Agosto, 2011 - 09:48 ( Brasília )

Defesa

Hermes 450: o vigilante das fronteiras brasileiras

Conheça o avião não tripulado da FAB que vigia fronteiras

O Hermes na FAB
A Força Aérea Brasileira (FAB) adquiriu dois Hermes 450 junto à empresa brasileira Aeroeletrônica, representante nacional da israelense Elbit Systems. O valor total da compra foi de mais de R$ 48,17 milhões, incluindo, além das aeronaves, uma estação em solo, sensores e apoio logístico.

Os dois Vants integram o Esquadrão Hórus, baseado em Santa Maria (RS), e estão em operação desde 26 de abril de 2011. A FAB planeja a aquisição de novas unidades nos próximos anos em bases nas regiões Norte e Centro-Oeste do País.

A primeira missão
O novo avião não tripulado da FAB teve seu batismo de fogo em agosto deste ano, durante a Operação Ágata, realizada na fronteira com a Colômbia. Em apenas algumas horas de voo, o Hermes 450 localizou uma pista de pouso clandestina utilizada por criminosos na região conhecida como Cabeça do Cachorro, no meio da Amazônia. Com as informações coletadas pelo Vant, quatro caças A-29 Super Tucano decolaram de São Gabriel da Cachoeira (AM) para bombardear a pista de 1,6 mil m. Foram utilizadas oito bombas de 230 kg cada, que abriram crateras que inviabilizam o pouso ou decolagem até de pequenas aeronaves no local.

Operação
A tripulação do Hermes 450 - um aviador e um operador de sistemas - opera a aeronave remotamente em terra e, dessa forma, não fica exposta a um eventual ataque inimigo. Além da tripulação, há uma equipe de manutenção e de apoio às telecomunicações, que permite a retransmissão das informações enviadas pela aeronave para centros de controle em qualquer região do País. Devido a seu tamanho compacto, o Hermes 450 pode ser transportado a bordo de aviões de carga, o que permite a sua atuação em todo o território nacional.

Raio-X
Designação na FAB: RQ-450
Comprimento: 6 m
Envergadura: 10 m
Peso de decolagem: 450 kg
Carga útil: 150 kg
Autonomia: até 16 horas
Teto operacional: 18 mil pés (aprox. 5.500 m)
Velocidade máxima: 95 km/h
Tripulação em terra: 2 (1 aviador e 1 operador de sistemas)
Operação: missões de busca, vigilância, controle aéreo avançado e reconhecimento
Unidades em atividade: 2
Base: Santa Maria (RS)

Equipamentos
O Hermes 450 é equipado com sistemas óticos capazes de localizar e acompanhar alvos em tempo real tanto de dia quanto de noite, podendo voar por períodos de até 16 horas. O Vant é todo automático, mas o aviador gerencia todas as etapas da missão, podendo determinar uma rota de voo ou pilotar a aeronave manualmente. Entre os equipamentos está uma câmera colorida com zoom e um sistema que capta imagens por calor, possibilitando a localização de pessoas sob a copa de árvores. Dependendo da distância do alvo, segundo a FAB, é possível até mesmo descobrir se as pessoas estão armadas.


Comparação com Carcará
Desde 2006, a Marinha utiliza um Vant compacto produzido com tecnologia nacional. Leve, robusto e portátil, o Carcará é lançado manualmente do solo e é equipado com câmeras de alta definição e sistema GPS, que enviam imagens, em tempo real, a uma estação de controle comandada por um militar. Na estação, semelhante a um laptop, é possível estabelecer previamente a rota da aeronave a partir de mapas digitais, ou alterar o percurso clicando com o mouse sobre um ponto específico da imagem captada pelo aparelho.

RAIO-X
Envergadura: 1,6 m
Peso: 1,8 kg
Velocidade: de 40 km/h a 80 km/h
Autonomia: 1 hora
Alcance: 15 km
Carga útil: 0,5 kg
Propulsão: motor elétrico alimentado por 3 baterias
Lançamento: manual