22 de Agosto, 2016 - 09:40 ( Brasília )

Defesa

Jungmann, Moraes e Etchegoyen acompanham entrega de espadim na AMAN


Integrantes do núcleo do governo federal que comanda os eixos de defesa, segurança pública e inteligência dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, os ministros Raul Jungmann (Defesa), Alexandre de Moraes (Justiça e Cidadania) e Sergio Etchegoyen deixaram a capital fluminense, tomaram um helicóptero e foram ao sul do estado do Rio de Janeiro.

No pátio da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende, 438 alunos receberam o espadim e tornaram-se oficialmente integrantes de mais uma turma de uma das melhores academias de formação militar do mundo.

No interior da aeronave Cougar, da Aviação do Exército, os ministros se inteiraram dos últimos preparativos na reta final dos Jogos Rio 2016. Já em Resende, Jungmann, Moraes e Etchegoyen participaram da cerimônia da entrega do espadim aos cadetes. Ao desembarcarem, os ministros foram recebidos pelo comandante da AMAN, general André Luiz Novaes Miranda.

Depois, juntaram-se ao comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas e demais oficiais generais, além do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Francisco Falcão.

“A  realização dos Jogos Olímpicos transcorreu sem nenhum incidente. Cumprimos com todos os encargos estabelecidos pelo Comitê olímpico Internacional (COI). De modo que, em termos de segurança, tudo transcorreu sem qualquer problema”, disse o ministro Jungmann ao deixar o palanque principal montado no pátio da academia.

Entrega de espadim

A primeira parte da cerimônia de entrega de espadim ocorreu com o ministro Jungmann passando em revista a tropa formada na entrada da AMAN. Depois, foi ouvida a salva de 19 tiros de canhão. Do palanque, as autoridades acompanharam o desfile de três grupamentos de cadetes da academia.

Já no pátio principal, o início foi marcado com a entrada dos novos cadetes, que, nesta manhã, receberam o espadim de Caxias, arma distintiva que representa a profissão militar dos futuros oficiais brasileiros. Os 438 alunos passaram um ano na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, situada em Campinas (SP). Agora, após 6 meses do ingresso na AMAN, completarão mais quatro anos de curso até se formarem aspirante a oficial. Desta turma, nove são de países amigos: cinco da Namibia; 2 do Paraguai, um de Honduras e um da Guiana.

O ministro Jungmann entregou o espadim ao aluno Richard Yuri de Souza Ribas. O cadete Ribas estava com os pais Valter Wilson Ribas e Marciani de Alcântara Barbosa da Silva. No discurso, o ministro lembrou do momento especial para os alunos. “O espadim que receberão hoje os acompanhará ao longo de todas as etapas de sua formação, que será, tenho certeza, cheia de desafios, superações e boas surpresas”, disse o ministro.

“É com muita satisfação que vejo, em meio aos cadetes desta turma, nove representantes de nações amigas, oriundos de Angola, Honduras, Guiana, Paraguai e Namíbia. O sentimento de camaradagem que construirão aqui é também um dos fundamentos do nosso pacifismo como Nação e está presente nas relações de cooperação que nos aproximam dessas diversas nações ao redor do mundo”, contou.

Jungmann explicou que o espadim de Caxias simboliza “a honra militar, o patriotismo, a energia e a bravura do Patrono do Exército”. “ Sua invencibilidade nunca se tornou arrogância. Que seja esse o ideal a ser perseguido ao longo de suas carreiras a serviço do Exército brasileiro e da defesa de nossa pátria. Sejam muito felizes”, concluiu.