26 de Julho, 2011 - 12:20 ( Brasília )

Defesa

Rádio digital da Motorola no Exército


Publicado Brasil Econômico


Por Carolina Pereira


Enquanto mundialmente os índices anuais de crescimento da Motorola Solutions são em média de 8%, no Brasil a companhia prevê elevar a receita em até 20% este ano, de acordo com o presidente, Eduardo Stefano. O segmento de governo será o mais representativo para que o crescimento seja alcançado e hoje responde por cerca de 65% da receita total. Neste cenário, o Exército Brasileiro tem se tornado um dos principais clientes, com o qual a companhia acaba de fechar um contrato de R$ 20 milhões.

O negócio envolve a venda de rádios digitais usados na missão de paz da Organização das Nações Unidas no Haiti, que é liderada pelo Brasil, entre outras ações da entidade. Com o uso da tecnologia digital, os dados que tramitam na rede do Exército passam a ser criptografados, o que melhora a qualidade do áudio e aumenta entre 40% e 50% a distância de alcance, segundo Stefano. É a primeira vez que o Exército utiliza este tipo de equipamento.

A intenção do Exército é expandir o uso desta tecnologia e utilizá-la em outras organizações militares. Segundo o general Santos Guerra, em dois anos a expectativa é dobrar a quantidade de rádios digitais, adquirindo mais 10 mil unidades. Um dos objetivos é se equipar para ações urbanas durante a Copa do Mundo de 2014.

O Exército também pretende ter 13 centros fixos de comando de controle até 2013, que além de comunicação de voz também terão sistemas de envio de dados e vídeos. Desta forma, será possível gerenciar a operação remotamente ou monitorar áreas de fronteira, por exemplo.

A Motorola Solutions é resultado da divisão feita em janeiro deste ano, que deu origem à fornecedora de tecnologia sem fio para clientes corporativos e do governo, e a Motorola Mobility, que vende celulares e conversores de sinal digital para TV. Com isso, a área controlada por Stefano no país se tornou uma empresa com faturamento global de US$ 1,9 bilhão no primeiro trimestre. A expectativa agora é ganhar licitações para a Copa do Mundo e Olimpíada.