02 de Julho, 2015 - 11:30 ( Brasília )

Defesa

Oficial-general da FAB assume secretaria da Junta Interamericana de Defesa


O Major-Brigadeiro Maurício Ribeiro Gonçalves assumiu o cargo de Diretor-Geral da Secretaria da Junta Interamericana de Defesa (JID). A cerimônia de transmissão de cargo foi realizada na sexta-feira (26/06) em Washington (DC) com a participação do Ministro da Defesa, Jaques Wagner.

O oficial-general da Aeronáutica foi eleito pelo Conselho de Delegados da Junta para o mandato de dois anos. Ele assume no lugar do Vice-Almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior, da Marinha do Brasil. O diretor-geral é o representante legal e chefe executivo da JID.

“Vamos contribuir cada vez mais para a consolidação do papel da Junta Interamericana de Defesa no atual cenário hemisférico, como principal órgão de assessoria da Organização dos Estados Americanos em temas militares e de defesa”, resume o Major-Brigadeiro Gonçalves. Leia aqui o discurso de posse na íntegra.

A responsabilidade da Secretaria da JID é dar apoio à execução das decisões do Conselho de Delegados. Também faz parte da missão da JID contribuir para o cumprimento da Carta da Organização dos Estados Americanos (OEA), atuando como órgão técnico, consultivo e educativo sobre temas relacionados aos assuntos militares e de defesa no continente americano.

A JID foi criada em 1942 para estudar e recomendar medidas para a defesa do continente. É a mais antiga organização militar multilateral no mundo. O Conselho de Delegados é uma entidade da OEA que fornece aos 27 estados-membros assessoria e consultoria técnica em assuntos militares, promove a paz e a segurança hemisférica, mediante vínculos de cooperação militar, além de fortalecer as relações entre civis e militares. Também supervisiona o programa acadêmico de nível superior em estudos de segurança e defesa no Colégio Interamericano de Defesa.

Os assuntos da pauta na Junta Interamericana de Defesa para os próximos dois anos abrangem temas diversos em relação a aspectos de segurança e defesa. O oficial-general destaca a assistência técnica para elaboração de livros brancos de defesa para os estados-membros, a desminagem humanitária, a defesa cibernética, a ajuda e a assistência humanitária, o apoio às conferências e os cursos acadêmicos avançados em temas militares e de defesa como áreas de trabalho.

“Além disso, os desafios futuros, considerando as orientações da Organização dos Estados Americanos, as solicitações dos estados-membros, bem como as visões estratégicas do Secretário-Geral da OEA, dizem respeito ao novo ordenamento mundial, à revalidação das ameaças tradicionais e à validação da Declaração de Segurança das Américas”, complementa o Major-Brigadeiro Gonçalves.
 

Despedida - No discurso de despedida, o Vice-Almirante destacou as ações sob sua gestão, como o fortalecimento dos laços políticos do conselho de delegados com a OEA, com os Estados-membros e com outras instituições de defesa, além da modernização do Colégio Interamericano de Defesa. “Foi possível avançar em diversos temas militares de interesse hemisférico, orientando seus esforços e adaptando suas atividades, de acordo com a situação conjuntural, em constante mudança, e, em especial, com foco nas ameaças tradicionais e não tradicionais”, afirmou. Leia aqui o discurso na íntegra do Vice-Almirante Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Júnior.

Também participaram da cerimônia o Assessor do Secretário-Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Embaixador Gabriel Bidegain; o representante do Brasil junto à OEA, Ministro-Conselheiro Breno Dias da Costa; os Conselheiros Militares do Brasil na Organização das Nações Unidas, Almirante de Esquadra Fernando Eduardo Studart Wiemer e Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Carlos Terciotti; além de outras autoridades civis e militares.