16 de Outubro, 2014 - 08:50 ( Brasília )

Defesa

UNIFIL - Militares que vão integrar missão da ONU no Líbano recebem orientações no Ministério da Defesa


No decorrer desta semana, dez militares da Marinha que irão compor a Força-Tarefa Marítima (FTM) da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL) participam, no Ministério da Defesa, de aulas preparatórias para o 9° Contingente Brasileiro no Líbano. O objetivo é aprimorar o debate fortalecendo as trocas de experiências da missão.

Desde 2011, o Brasil está no comando dessa missão de paz da ONU, criada para patrulhar a costa libanesa, prevenindo o contrabando de armas no litoral mediterrâneo e colaborando com o treinamento da Marinha do país árabe.

Os oficiais que estão em preparação em Brasília assumem a missão em fevereiro de 2015, quando acontece a troca dos navios-capitania Fragata Constituição (F42) para a Fragata União (F45). Todos eles são voluntários e passam por processos preparatórios, avaliações psicológicas e exames médicos antes de seguirem rumo à missão.

O oficial que irá assumir o comando da F45, capitão-de-fragata Guilherme Lopes Malafaia, afirma que a tripulação está motivada e ressalta que vários deles já passaram por experiências dessa natureza.

“Já é a terceira vez que o navio está indo para esta missão de paz e cerca de 40% desta tripulação não é nova neste tipo de comissão”, explica Malafaia.

Na aula inaugural proferida aos militares dessa missão, o coronel Lara Rocha, coordenador da Subchefia de Operações de Paz, falou sobre a estrutura e sobre o funcionamento da missão permanente do Brasil na ONU. O objetivo foi apresentar os interesses nacionais e as estratégias para intensificar a participação em ações humanitárias, de paz e de segurança internacionais.

Além disso, foram expostos aos militares do Estado-Maior da Força Tarefa e da tripulação do navio a situação atual no Líbano, suas projeções futuras e os objetivos da política externa brasileira naquele país.  O relato sobre o panorama político e econômico e sobre as relações do Líbano com o Brasil ficou a cargo do conselheiro e chefe da Divisão de Oriente Médio I, do Ministério de Relações Exteriores (MRE), Eduardo Uziel.

O conselheiro explicou aos futuros membros da missão que a relação entre os dois países está cada vez mais frequente. “Há um interesse crescente pelo Brasil no Líbano e a nossa presença pela UNIFIL neste país tem contribuído para isso”, acrescentou.  O conselheiro citou como exemplo desta cooperação as relações bilaterais entre as escolas militares do Brasil e do Líbano, fortalecidas por meio de bolsas gratuitas oferecidas pela Escola Naval Brasileira, que atualmente conta com cinco militares libaneses estudando no Brasil.

De acordo com ele, hoje, existem cerca de dez mil brasileiros morando no Líbano (em Beirute e no Vale do Beqaa) e, no Brasil, a comunidade libanesa é de aproximadamente sete milhões de pessoas.  O chefe de Operações Conjuntas (CHOC) do Ministério da Defesa, almirante Ademir Sobrinho, juntamente com autoridades do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas participaram da abertura das aulas e deram as boas vindas à futura tripulação do navio.  As apresentações fazem parte da Reunião do Comando e Estado-Maior do 9° Contingente Brasileiro no Líbano, que termina na próxima sexta (17).