25 de Julho, 2014 - 11:30 ( Brasília )

Defesa

Militar da FAB assume representação brasileira na Junta Interamericana de Defesa

Atuação do órgão reforça posicionamento do Brasil em relação ao multilateralismo e a confiança mútua

O oficial-general da Força Aérea Brasileira (FAB), Brigadeiro do Ar Osmar Lootens Machado, assumiu a chefia da Representação Brasileira na Junta Interamericana de Defesa. A solenidade foi realizada na terça-feira (22/07) em Washington, DC. O cargo segue rodízio a cada dois anos entre Marinha, Exército e Aeronáutica e integra a estrutura do Ministério da Defesa.

A Junta Interamericana de Defesa é um organismo internacional e reúne 28 países das Américas e Caribe. O delegado de cada país representa o Ministério da Defesa e participa de reuniões mensais do Conselho de Delegados, cuja função é assessorar os Estados-Membros em assuntos militares, de defesa e educativos. O Conselho, por sua vez, tem autonomia técnica para discutir seus assuntos e é ligado à Comissão de Segurança Hemisférica da Organização dos Estados Americanos (OEA). Neste caso, assessora o Embaixador do Brasil na OEA em temas militares e de defesa.

O principal desafio da representação é manter a liderança e o protagonismo do Brasil na Junta Interamericana de Defesa por meio da participação ativa nos principais trabalhos técnicos desenvolvidos. A posição do Brasil é reforçar o multilateralismo e a confiança mútua.

A Junta Interamericana de Defesa é responsável, por exemplo, pelo programa de desminagem humanitária na Colômbia. O órgão mantém uma equipe de quatro militares brasileiros do Exército Brasileiro que trabalha junto com o Exército Colombiano e empresas civis homologadas para realizar a retirada de minas do terreno.

O Brasil chefia o Grupo de Monitores Interamericanos na Colômbia (GMI-CO), subordinado à Secretaria da Junta. Essa missão atualmente é composta por 100% de militares brasileiros. A representação faz o acompanhamento das atividades de desminagem humanitária realizadas pelo GMI-CO, bem como o controle e o apoio ao pessoal militar brasileiro designado para a missão pelo Ministério da Defesa.

Além das atividades regulares de monitoramento, assessoria e capacitação técnica, as missões de assistência participam de trabalhos de revisão de manuais, de reuniões de coordenação com autoridades locais, de assessoria na confecção de normas e procedimentos para atividades e de monitoração e assessoria técnica a unidades militares de desminagem.

A Junta também possui um banco de dados que compila as experiências vividas e lições aprendidas pelos seus respectivos Ministérios da Defesa em casos de desastres naturais e grandes catástrofes que são compartilhadas entre os membros para auxílio mútuo.