16 de Abril, 2014 - 09:30 ( Brasília )

Defesa

MD - Sai Amorim (?)



Seção Holofote Revista Veja Edição 2369
Entregou o quepe

 
Desgastado com os cortes sucessivos no orçamento do Ministério da Defesa, Celso Amorim entregou seu cargo em dezembro, mas Dilma Rousseff pediu a ele que ficasse até o final do governo. O ministro aceitou,  mas já se arrependeu e disse à presidente que só fica até junho.

Ele está convencido de que, depois da compra dos caças suecos pela Aeronáutica, nenhum outro projeto das Forças Armadas sairá do papel. ( Nota DefesaNet - o segundo programa em importância Defesa Antiaérea está em impasse entre EB e Russos Link)

Já há alguns candidatos para a sua vaga, entre eles o secretário executivo da Previdência, Carlos Gabas, que se notabilizou por levar Dilma na garupa a um passeio de moto por Brasília.
 
Notas DefesaNet :

1  O ministro está preso ao Bolivarianismo extremado que tentou implementar no Ministério da Defesa, que não tem lhe dado cobertura em momentos crítico.

2   Os comandos militares preferem  dialogar diretamente com seus pares ao longo das fronteiras do que via MD, que aplica uma retórica política e que surpreendentemente não encontra guarida nos seus parceiros bolivarianos do continente.

3  A colocação de comissários (políticos?), nos principais programas de defesa em curso. Fato que chamou atenção a presença de uma, na delegação brasileira,  durante a FIDAE.

4 A falta de interlocução com o Palácio do Planalto e em especial a área econômica, que gerenciada por radicais do partido tem levado as Forças Armadas a operarem próximas da insolvência operacional. Os fatos marqueteiros gerados nos últimos meses são mais para manter o moral interno.

5 A necessidade de atuação em missões GLO na Copa do Mundo, e segundo comandos  militares várias  tipo “emboscadas” visando a criar situações de fato crítico em que os militares teriam de atuar em condições adversas.

6  Alertado pelos informes dos órgãos de inteligência que muitas destas ações são incentivadas por alas de dentro do próprio Palácio do Planalto.

7  O ministro considera o seu maior feito a definição do Programa F-X2 com a escolha do caça sueco SAAB Gripen NG.

8  Porém, está desgastado com a verdadeira guerra aberta  entre vários grupos industriais para terem maior espaço no programa.
     Ver a matéria Um novo Caça e uma Nova Base Industrial? Link

9   À falta de respostas o ministro adotou uma postura “sui generis”, criando a “auto-entrevista”.   Faz as perguntas pare ele mesmo responder.

10  O colaborador de DefesaNet, Cel R1 Gelio Fregapani, foi o primeiro a mencionar a saída de Celso Amorim e indicar o nome de Carlos Gabas
 Ver Comentário  Gelio Fregapani  de 12 Fevereiro 2014 Link



11   Ao contrário da percepção e dos eventos dos 50 Anos da Revolução de 1964, o prestígio das Forças Armadas, em especial do Exército Brasileiro é crescente no Palácio do Planalto, em especial no 3º andar.