09 de Abril, 2014 - 09:50 ( Brasília )

Defesa

Oficiais assumem dois órgãos do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas

Chefia de logística passa para as mãos do Tenente-Brigadeiro do Ar Gerson Nogueira Machado de Oliveira. Almirante-de-Esquadra Ademir Sobrinho lidera a Chefia de Operações Conjuntas

Oficiais-generais assumiram dois órgãos do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas do Ministério da Defesa (EMCFA) em cerimônia presidida pelo ministro da Defesa, Celso Amorim. A Chefia de Logística (Chelog) passa a ser comandada pelo Tenente-Brigadeiro do Ar Gerson Nogueira Machado de Oliveira, e a Chefia de Operações Conjuntas (CHOC), pelo Almirante-de-Esquadra Ademir Sobrinho.

Participaram da solenidade, realizada na última segunda-feira (7), oficiais-generais e membros do Alto Comando da Aeronáutica, do Exército e da Marinha.

A área de logística tem como responsabilidade o assessoramento do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (ECMFA) nos assuntos relativos à logística, mobilização e serviço militar, propondo ações e acompanhando projetos do setor, incluindo tecnologia militar. “Nossa missão é unir as funcionalidades, o que houver de comum entre as três forças para que possamos aproveitar da melhor maneira possível, economizando recursos e agilizando o apoio em caso de conflito”, afirma o Tenente-Brigadeiro Machado. Assista ao vídeo.

Antes de assumir a Chelog, o Tenente-Brigadeiro Machado foi diretor-geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), vice-chefe do Estado-Maior da Aeronáutica (Emaer), vice-chefe de Operações Conjuntas do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), Comandante de Defesa Aeroespacial Brasileira (Comdabra) e Comandante da III Força Aérea, unidade da FAB responsável pelo gerenciamento dos esquadrões que operam aeronaves de caça.

Operações Conjuntas

A Chefia de Operações Conjuntas do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas é o órgão interno do Ministério da Defesa que presta assessoria ao EMCFA, por meio da coordenação de diretrizes de planejamento, execução e acompanhamento de temas voltados ao preparo e emprego conjunto das Forças Armadas, inclusive em operações de paz.

De 2002 a 2013, o Ministério da Defesa realizou 35 exercícios combinados e conjuntos. De acordo com o Tenente-Brigadeiro do Ar Ricardo Machado Vieira, que deixa o cargo para assumir na próxima sexta-feira (11) a chefia do Estado-Maior da Aeronáutica (Emaer), esses exercícios promoveram um amadurecimento muito grande das Forças Armadas para a atuação conjunta. “Como resultado de todo esse esforço, temos hoje uma sistemática de planejamento estratégico e operacional conjunto estabelecida e praticada no nosso dia a dia”, afirmou o oficial-general.

Durante os 18 meses no comando da CHOC, Vieira esteve à frente de operações envolvendo as Forças Armadas no Brasil e no Exterior. Destacam-se as Operações Ágata, realizadas na fronteira continental, o envio dos batalhões brasileiros para a missão de paz no Haiti e dos militares da Marinha na Força-Tarefa Marítima no Líbano, a Unifil.

Além disso, as ações de defesa das Forças Armadas nos grandes eventos e em momentos de calamidade pública. “Hoje a participação das Forças Armadas na vida nacional é muito grande. Isso nos traz com certeza um legado fantástico de podermos planejar a atuação. A Força Aérea com suas aeronaves, o Exército com as tropas terrestres e a Marinha com seus navios, ou seja, cada um com sua participação, mas sempre com uma direção única do Ministério da Defesa por meio do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas”, avalia.