20 de Outubro, 2013 - 18:35 ( Brasília )

Defesa

Embraer chega ao Rio com uma nova unidade de negócios

Divisão começa a operar este ano de olho na indústria de petróleo

Ronaldo D"Ercole 
 
São Paulo- A Embraer escolheu o Rio de Janeiro para ser sede da sua nova unidade de negócios. Trata-se da Embraer Systems, uma divisão voltada desenvolvimento e à aplicação de sistemas para áreas industriais diferentes das de aviação e defesa, em que a empresa já atua. A largada será dada no fim deste ano com a inauguração de um escritório na avenida Rio Branco, no Centro da cidade. 
 
Para comandar a sua nova divisão de sistemas, a Embraer contratou o executivo Daniel Moczydlower. Ex-presidente da Chemtech, empresa de engenharia especializada em projetos de plataformas de petróleo e refinarias, Moczydlower é carioca, graduado em engenharia química na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 
 
— A ideia principal veio de um estudo estratégico de alguns anos, de reflexão dentro da Embraer, a respeito de um conjunto de tecnologias e competências que fazem a empresa ter tanto sucesso no mercado global de aviação e defesa. Essas análises indicaram que esse conjunto de competências, especialmente na área de sistemas e integração de sistemas, poderia ser transferido para outras indústrias — diz o executivo, que há seis meses trabalha na estruturação da Embraer Systems. 
 
Não por acaso a empresa chega ao Rio quase que junto com o início do processo de exploração das áreas do pré-sal. Entre as áreas industriais prioritárias da Embraer Systems estão a de petróleo e gás. 
 
— Petróleo e gás é uma área em que colocamos uma expectativa muito grande. Mas temos analisado também o agro-negócio, a agricultura de precisão, e mineração — disse o executivo. — Mas o pré-sal é um dos grandes interesses e possibilidades. É um desafio tecnológico talvez sem paralelo no mundo do petróleo, e o Brasil, como país, vai precisar realmente se mobilizar para dar um salto e fazer frente a esse desafio. 
 
Segundo Moczydlower, a movimentação tecnológica no Rio decorrente da descoberta do pré-sal, especialmente as conexões que estão se formando em tomo Centro Tecnológico da Petrobras, foi um fator que pesou na decisão de abrir sua primeira unidade de negócios na cidade. 
 
— É muito mais interessante para nós conhecer o que esse "ecossistema" de empresas está fazendo e analisar como eventualmente poderíamos combinar essa expertise com algo que a Embraer já tem testado e já utiliza com sucesso. 
 
O executivo lembra que a Embraer, como a Petrobras, é uma empresa que se construiu com uma mão de obra altamente qualificada, totalmente focada em tecnologia. Assim como o principal centro de desenvolvimento de sistemas da Embraer, que fica em São José dos Campos, integra um sofisticado centro de pesquisas aeroespaciais e inovação, com o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e o Centro de Tecnologia da Aeronáutica (CTA), a empresa agora estará próxima do centro de tecnologia do petróleo que está se formando no Rio. 
 
Faz parte da estratégia da empresa investir em talentos locais. Parte do seu pessoal já tem sido recrutado no Rio. 
 
— E o objetivo de estarmos em geografias diferentes (a empresa tem unidades nos estados Unidos, em Portugal e na Ásia), é ter acesso a talentos de várias regiões e o Rio tem excelentes escolas. 
As ambições da Embraer Systems, contudo, vão bem mais além. Segundo o Moczydlower, a Embraer System é "uma operação que nasce para ser global".