27 de Setembro, 2013 - 09:50 ( Brasília )

Defesa

Laçador 2013 - ECAM contribui também para formação de jornalistas


Denise De Rocchi

As atividades da Operação Laçador, que prosseguem até sexta-feira, mostraram até o momento o êxito das Forças Armadas Brasileiras em proteger o país fictício Verde do vizinho Amarelo. A situação hipotética permite que a Aeronáutica, o Exército e a Marinha mostrem como agiriam se o conflito fosse real.

Em tempos de paz, o Exército Brasileiro atua em atividades cívico-sociais e pacificação de áreas conflagradas, trabalho que foi apresentado a jornalistas e estudantes de jornalismo durante o Estágio de Correspondentes de Assuntos Militares (ECAM), realizado em paralelo à operação.

O 8º esquadrão de Cavalaria Mecanizado recebeu o grupo nesta quarta-feira em sua sede, na zona sul de Porto Alegre, e fez uma demonstração de como atuou na pacificação de comunidades no Rio de Janeiro. O cenário reproduzia ruas de uma favela em que blindados foram usados para vencer obstáculos colocados pelos traficantes, na tentativa de impedir a entrada das forças policiais.

Esta foi a última atividade prática do estágio, realizado pela primeira vez em Porto Alegre. Na cerimônia de encerramento, os estudantes de jornalismo da ESPM-Sul, IPA, Unisinos e Uniritter classificaram a experiência como muito válida para ampliar o conhecimento sobre a atuação das Forças Armadas.

O General de Brigada Márcio Velloso, chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Sul, destacou para o grupo o empenho dos militares em defender o país: “Nosso trabalho é diuturno e é importante que vocês, futuros jornalistas, conheçam esta realidade”. Durante as 40 horas de curso, os estudantes e jornalistas puderam participar de treinamentos em campo, para compreender e minimizar os riscos a que estão expostos em coberturas jornalísticas em zonas de conflito.

NT DefesaNet - Recomendamos também a leitura do artigo da jornalista Liane Fraga:
Manifestações – Jornalistas na Guerra Urbana Link