25 de Junho, 2013 - 17:00 ( Brasília )

Defesa

Brasil e Libéria discutem possibilidades de cooperação em defesa


Os ministros da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e da Libéria, Brownie Samukai, debateram, na manhã desta terça-feira, possibilidades de cooperação bilateral na área de defesa, principalmente no treinamento militar de praças e oficiais do país africano.

As propostas, debatidas em reunião bilateral em Brasília, visam fortalecer as Forças Armadas da Libéria, que, atualmente, passam por processo de estruturação após o país ter enfrentado duas guerras civis.

De acordo com Amorim, o Brasil tem intensificado relações com a Libéria em setores como agricultura e formação profissional e está preparado para auxiliar a nação amiga “em áreas específicas de defesa e segurança”.

Já Brownie Samukai explicou que, desde 2006, quando o governo de seu país se reorganizou, oficiais das Forças Armadas vêm sendo treinados em instituições militares estrangeiras, inclusive profissionais aposentados que voltaram à ativa.

“Nosso Exército está tentando se desenvolver a partir de experiências como a do Brasil. E estamos aqui para ver possibilidades de cooperação em treinamento militar e demanda de armas e demais equipamentos bélicos”, disse.

Cooperação marítima

Durante a reunião, o ministro brasileiro informou que o navio-patrulha “Araguari” – última das três embarcações adquiridas pela Marinha do Brasil junto à BAE Systems – passará pela Libéria durante seu trajeto em direção ao Brasil.

A travessia pela África acontecerá entre 23 e 26 de agosto deste ano, quando poderão ser realizados exercícios conjuntos com a Marinha liberiana.

Outra possibilidade de cooperação é a participação de militares liberianos em um seminário sobre busca e salvamento, que deverá ocorrer em Salvador (BA). Ao aprovar a ideia, o ministro da Libéria completou: “É preciso que tenhamos uma polícia costeira melhor. E, para isso, o aprendizado em operações de resgate também é algo que gostaríamos de ter”.

Exército e Força Aérea

No encontro foram debatidas, também, possibilidades de parceria nas áreas de atuação das forças Terrestre e Aérea. O comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, levantou a hipótese de treinamentos de militares da Libéria, no Brasil, voltados para operações de paz.

Já o chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, brigadeiro Marco Aurélio Mendes, disse que o aperfeiçoamento de pessoal pode ser estendido para a área da aviação, na formação de sargentos em tráfego aéreo.