21 de Maio, 2013 - 09:58 ( Brasília )

Defesa

Viagem Institucional do Gabinete do Comandante do Exército


No período de 7 a 10 de maio, representantes do Gabinete do Comandante do Exército, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, da Câmara dos Deputados, da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e do Escritório de Projetos do Exército realizaram uma viagem institucional ao Centro Tecnológico do Exército e às empresas Embraer e Avibras.

O objetivo da visita foi apresentar o andamento dos principais projetos estratégicos do Exército, sobretudo na área de Ciência e Tecnologia, destacando-se o SISFRON, o Defesa Cibernética e o ASTROS 2020.

O SISFRON é o Projeto Sistema Integrado de Vigilância de Fronteiras projetado pelo  Exército Brasileiro, para as fronteiras terrestres do Brasil,  para contribuir  no controle  da segurança e os crimes transfronteiriços (contrabando, narcotráfico, etc).

Estações fixas assim como móveis controladas remotamente, com sensores com capacidade de monitoramento e capacidade  “direction-finding” nas faixas de freqüências HF, VHF e UHF. Um centro  regional de monitoramento (ISTAR) e um centro de treinamento estão incluídos no contrato. Junto com o projeto a transferência de Tecnologia (ToT) também está incluída proporcionando a autonomia na cadeia de fornecimento e criando empregos nos setores de alta tecnologia no Brasil.

Astros 2020

Com o ASTROS 2020, o atual sistema de apoio de fogo do Exército será elevado do nível tático para o nível estratégico. Sua funcionalidade se dará de forma coordenada com a Marinha (O Corpo de Fuzileiros Navais da Armada adquiriu o ASTROS) e a Força Aérea, tanto na defesa do litoral quanto do espaço aéreo brasileiro. Com o diferencial de ser todo digital, o sistema oferece ainda a possibilidade de integrar informações e reconhecimentos proporcionados por  veículo aéreo não-tripulado (Vant) Falcão, que a Avibras está desenvolvendo e poderá servir para ampliar o reconhecimento da arma.

Defesa Cibernética

O projeto Defesa Cibernética reveste-se de crucial importância na medida em que integra, em ação colaborativa, os setores público, privado, empresarial e acadêmico em favor do fomento da indústria nacional de defesa, tanto na aquisição de conhecimento, quanto na geração de empregos, bem como na indução da indústria nacional em favor da produção de sistemas inovadores, ainda, na contribuição da defesa das infraestruturas críticas da Nação e no incremento da pesquisa científica, além de contribuir para o desenvolvimento tecnológico do setor cibernético nacional.