22 de Abril, 2013 - 09:59 ( Brasília )

Defesa

Dilma destaca modernização do Exército


Na data em que o Exército Brasileiro comemora 365 anos de existência, a presidenta da República, Dilma Rousseff, destacou o "processo de transformação, modernização e atualização” dos meios operacionais da Força Terrestre. As palavras da presidenta foram lidas durante solenidade que aconteceu na manhã desta sexta-feira no Quartel-General, no Setor Militar Urbano em Brasília (DF). A cerimônia foi presidida pelo vice-presidente, Michel Temer, e contou com a presença do ministro da Defesa, Celso Amorim.

Na mensagem presidencial, Dilma Rousseff lembrou o “orgulho” que sente no desempenho da Força Terrestre nas missões de paz, iniciadas em Suez na década de 50, e que, atualmente, destacam-se no trabalho de estabilização do Haiti por meio da Minustah. A presidenta elogiou ainda o apoio que o Exército Brasileiro presta ao Brasil “desde Guararapes até o presente” nos projetos estratégicos do país.

A ideia de que há um “processo de transformação” vivido pelo Exército Brasileiro foi compartilhada, em seguida, pelo comandante da Força, general Enzo Marins Peri. Em seu discurso, ele falou dos “novos materiais, nova doutrina, novas capacidades” da instituição.
 
“[O Exército] ganha maior estatura dissuasória, prepara-se para atuar em ambiente de elevado grau de incerteza, interconectado, cibernético e pejado de ameaças dinâmicas e imprevisíveis”, ressaltou.  
 
Cerimônia
 
Michel Temer foi recebido com honras militares e encaminhou-se ao palanque acompanhado do chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi, e dos comandantes da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto; do Exército, general Enzo, e da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito. Logo após, os presentes entoaram a Canção do Exército.
 
Durante a solenidade, foi feita a entrega da Ordem do Mérito Militar a 163 personalidades civis e militares que tenham prestado notáveis serviços ao país. Criada pelo Decreto nº 24.660, de 11 de julho de 1934, a comenda é entregue na data de hoje em todo o Brasil.
 
Ficou a cargo do vice-presidente, Michel Temer, condecorar com a insígnia os estandartes das seguintes organizações das três Forças Armadas: Comando da Divisão Anfíbia, localizado no Rio de Janeiro (RJ); 9º Regimento de Cavalaria Blindado, em São Gabriel (RS); 40º Batalhão de Infantaria, de Crateús (CE), e Comando Geral do Pessoal da Aeronáutica, sediado em Brasília.

Depois, houve desfile da tropa, em meio a um cenário composto pela exposição de materiais bélicos utilizados pela Força Terrestre, tais como ombuseiros leves light gun; blindados Urutu e Cascavel; radar Saber M-60; viaturas do sistema Astros, viaturas Caçadoras e M3 Anfíbia, entre outras. Com esta última, é possível montar uma ponte anfíbia em apenas 20 minutos com o auxílio de 24 militares.

A Data


O Dia do Exército celebra a vitória brasileira contra os holandeses na Batalha dos Guararapes, nas proximidades de Recife (PE). Em 1648, para expulsar as forças invasoras, índios, brancos e negros se uniram, comandados, respectivamente, por Felipe Camarão, Vidal de Negreiros e Henrique Dias – representantes dos três principais grupos étnicos do Brasil. Essa união foi responsável pelo surgimento do “primeiro empreendimento genuinamente nacional”, segundo o comandante do Exército.

Hoje, a área do combate, preservada em parque nacional, pertence ao município de Jaboatão dos Guararapes. “Não reverenciamos pessoas, mas uma instituição que se forjou junto com a Nação brasileira”, sentenciou o general Enzo.
 
Atualmente, o Exército conta com cerca de 200 mil militares que trabalham sob a missão de preparar a Força Terrestre para defender a pátria e garantir a lei e a ordem; participar de missões internacionais (por exemplo, as de manutenção da paz); e apoiar a política externa do Brasil.
 
No Ministério da Defesa, as comemorações alusivas à data aconteceram ontem (18/4), no Salão de Honra do órgão, com a entrega das medalhas da Ordem do Mérito da Defesa e Militar por Tempo de Serviço (de ouro – 30 anos de Força; e de prata – 20 anos).
 
Foto: Felipe Barra