COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Geopolítica

02 de Outubro, 2012 - 12:00 ( Brasília )

Empresa que hospeda servidores do Wikileaks sofre batida policial


A empresa sueca de hospedagem de sites PRQ, que acolhe os servidores do WikiLeaks, foi alvo nas últimas horas de uma batida da polícia local, após os ataques cibernéticos sofridos por várias instituições do país.

"Há policiais em nossa sala de servidores e os vigiam para que ninguém leve nada. Não tenho ideia de que páginas a polícia procura, não querem dizer nada", declarou ao canal público sueco SVT Mikael Viborg, dono da PRQ.

Segundo Viborg, um problema técnico que afeta a PRQ, e pelo qual seu site está fora de serviço temporariamente, impediu até agora a polícia de rastrear os endereços IP que procura.

A batida na PRQ coincidiu com a queda do site The Pirate Bay (TPB), um dos principais do mundo para trocar arquivos e cujos criadores foram condenados pelos tribunais suecos. Os responsáveis pelo TPB explicaram em sua página na rede social Facebook que a falha se deve a um problema de provisão elétrica.

A PRQ foi criada por dois dos fundadores do TPB, embora há anos estejam desvinculados dele e já não hospedem os servidores da popular página de download de conteúdos.

Os sites das Forças Armadas suecas, dos bancos Swedbank e SEB e da agência de notícias TT, entre outras, sofreram ontem um ataque cibernético, cujos autores se desconhece, embora a Procuradoria sueca tenha insinuado que poderiam ser simpatizantes do fundador do WikiLeaks, Julian Assange.

Assange se encontra refugiado há meses na embaixada em Londres do Equador, que lhe concedeu asilo político, embora o Reino Unido se negue a entregar-lhe um salvo-conduto para viajar ao país latino-americano.

O ativista australiano, 41 anos, pediu asilo ao Equador após esgotar seus recursos legais no Reino Unido contra a extradição à Suécia, país que lhe reivindica para interrogar-lhe por quatro supostos delitos sexuais contra duas suecas.

Assange teme que as autoridades suecas o extraditem depois aos Estados Unidos, onde poderia enfrentar um processo militar pelas revelações feitas pelo WikiLeaks sobre a inteligência americana.

O grupo Anonymus postou hoje um vídeo no qual ameaça a Suécia com represálias pela batida contra a PRQ.



Outras coberturas especiais


Pacífico

Pacífico

Última atualização 23 AGO, 10:25

MAIS LIDAS

Cyberwar