COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Tecnologia

03 de Julho, 2012 - 10:35 ( Brasília )

Avião não tripulado é capturado com técnica hacker


PORTAL INOVAÇÃO TECNOLÓGICA
via Notimp - FAB / Agência Força Aérea


Pesquisadores da Universidade do Texas fizeram um verdadeiro evento midiático para demonstrar que é possível "hackear" um VANT um veículo aéreo não tripulado.

Os aviões não tripulados estão aos poucos encontrando seus próprios nichos de aplicação, de início na vigilância, no monitoramento ambiental e na agricultura.

Mas há planos de colocar aviões não tripulados no ar em grande escala, sobretudo para o transporte de cargas. Os EUA planejam uma legislação específica para isso a partir de 2015.

Mas talvez seja melhor não deixar que os VANTs decolem em larga escala tão cedo, alertam Milton Clary e seus colegas.

Hackeando um drone

Os pesquisadores reuniram estudantes, a imprensa e convidaram autoridades da aviação civil e militar norte-americana para uma demonstração ao vivo de como se faz para enganar o chamado "drone" e levá-lo para onde o hacker quiser.

Os pesquisadores usaram uma técnica conhecida como spoofing, que consiste em que enviar sinais falsos de GPS para o avião não-tripulado - sem um piloto, tudo o que o VANT tem para se guiar são os sinais de GPS.

Assim, enquanto o avião acredita estar corrigindo sua rota para manter-se no curso, ele na verdade está sendo redirecionado para outro local.

Isso já aconteceu na prática no ano passado, quando um avião militar não tripulado dos EUA foi capturado no Irã.

Longa distância

Como a técnica engana os receptores de GPS do avião, tanto em termos de localização quanto de tempo, os especialistas acreditam que o roubo dessas aeronaves é o menor dos problemas: elas poderão ser guiadas para onde o hacker quiser - para chocar-se contra prédios, por exemplo.

Durante a apresentação, os pesquisadores - na verdade um grupo de estudantes orientados por Clary - tomaram o controle de um helicóptero autônomo de uma distância de 1 km.

Eles já anunciaram o próximo evento, quando tentarão capturar um VANT de maior porte a 10 km de distância.

Leia também artigo publicado no Defesanet:

O tendão de Aquiles dos Vants? O caso RQ-170 Sentinel