COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Naval

11 de Julho, 2019 - 11:15 ( Brasília )

Marinha participa do Exercício Guardião Cibernético 2.0


No período de 2 a 4 de julho, foi realizado, no Forte Marechal Rondon, em Brasília-DF, o Exercício Guardião Cibernético 2.0 (ECG 2.0), considerado o maior evento simulado de proteção cibernética, dos ativos de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), no âmbito da Defesa.

Além da Marinha do Brasil (MB) e das Forças Singulares, participaram do exercício o Ministério da Defesa (MD), o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e instituições de setores considerados estratégicos para o Estado brasileiro, com destaque para os setores nuclear, financeiro, telecomunicações, energia, transportes e água.

A dinâmica do exercício se desenvolveu em um cenário fictício de intenso ataque cibernético, no qual os participantes de nível técnico e gerencial empregaram técnicas de simulação virtual e construtiva, de forma integrada para a pronta resposta aos incidentes e problemas cibernéticos simulados. No setor nuclear, de responsabilidade da MB, participaram militares do Comando de Operações Navais (CON), Diretoria de Comunicações e Tecnologia da Informação da Marinha (DCTIM), Centro de Tecnologia e Informação da Marinha (CTIM) e Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP), além dos demais órgãos que compõe esse setor.

Dentre as evoluções percebidas na segunda edição do EGC, destaca-se a participação da MB que, pela primeira vez, empregou em caráter experimental, o Simulador de Planta Nuclear, em desenvolvimento na Universidade de São Paulo (USP), em parceria com a MB e a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Esse ineditismo possibilitou que os eventos cibernéticos simulados do setor nuclear se desenvolvessem com maior realismo. No dia 03 de julho, ocorreu o dia de visita do exercício, ocasião em que autoridades civis, militares, parlamentares e estrangeiras tiveram a oportunidade de conhecer as instalações do exercício e receber explicações detalhadas sobre o evento.

O Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante de Esquadra Celso Luiz Nazareth, foi representado pelo Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, Vice-Almirante Arthur Fernando Bettega Corrêa. “A participação da MB no EGC 2.0 foi mais uma oportunidade para a nossa Força desenvolver a capacidade cibernética na vertente ‘Proteção’ dos seus ativos de TIC”, afirmou o Chefe do Estado-Maior Conjunto do ComDCiber e Diretor do Exercício Contra-Almirante Francisco Neves.


VEJA MAIS