COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Terrestre

06 de Dezembro, 2017 - 10:40 ( Brasília )

Solenidade militar marca o início das atividades de Defesa Cibernética no Forte Marechal Rondon


Uma cerimônia realizada no dia 1º de dezembro marcou o início das atividades de Defesa Cibernética no Forte Marechal Rondon, localizado no Setor Taquari, em Brasília.

A ocasião registrou a mudança do Comando de Defesa Cibernética (COMDCIBER) e do Centro de Defesa Cibernética (CDCIBER) do Forte Caxias - Quartel-General do Exército para as novas instalações, onde estão concentradas Organizações Militares que têm como vocação atividades típicas da Arma de Comunicações.

A solenidade foi presidida pelo Comandante de Defesa Cibernética, General de Divisão Angelo Kawakami Okamura. Na ocasião, foi relembrada a trajetória do setor de Defesa Cibernética no âmbito do Exército, iniciada em 2008.



"Recebemos a missão de implantar a Defesa Cibernética em um contexto no qual o Brasil começou a receber grandes eventos, culminando com os Jogos Olímpicos. Iniciamos com a prova de fogo de cumprir missões operacionais e tivemos êxito. Por tudo isso, é uma grande emoção valorizar e relembrar o trabalho dos abnegados pioneiros e chegar hoje a este complexo, unindo esforços com os setores de Comunicações e Guerra Eletrônica", destacou.

Também presente no evento, o Chefe do Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica, General de Brigada Luiz Cláudio Gomes Gonçalves, celebrou a chegada do setor de Defesa Cibernética ao Forte Marechal Rondon como um marco importante para a Força.

"Trata-se de mais um passo na gradual evolução doutrinária do Exército no campo das Comunicações, com mudanças significativas praticamente de dois em dois anos. Vale registrar, ainda, que a chegada do COMDCIBER e CDCIBER a esse Forte vai ao encontro dos projetos de racionalização do Exército, no sentido de que não foi necessária a construção de um novo quartel, mas, sim, a adequação de áreas já existentes", ressaltou.



Fotos: Sgt Ageu Souza / EB