COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Tecnologia

03 de Abril, 2014 - 23:04 ( Brasília )

Rustcon - Apresenta Simulador de Operações de Guerra Cibernética

Simulador, desenvolvido com tecnologia 100% nacional, será usado no treinamento de tropas brasileiras contra possíveis ataques cibernéticos

            
A RustCon, empresa brasileira de consultoria em engenharia voltada para o desenvolvimento de sistemas de TI e gestão de projetos de alta complexidade, esteve presente pela primeira vez na Feira Aeroespacial e de Defesa (FIDAE) 2014. A companhia, que recentemente foi certificada pelo Ministério da Defesa, como Empresa Estratégica de Defesa (EED), apresentou as soluções desenvolvidas para as Forças Armadas na área de simulação, entre elas o SIMOC (Simulador de Operações de Guerra Cibernética).

O SIMOC foi desenvolvido com tecnologia 100% nacional e é voltado para treinar e simular situações para as tropas contra possíveis ataques cibernéticos. Operando com uma solução pioneira de uso dual, integra ativos de redes virtuais e componentes reais.

O equipamento permite o acompanhamento e a avaliação de todas as atividades executadas pelo aluno em tempo real, otimizando o resultado dos treinamentos. O software disponibiliza suporte para especialização de recursos humanos em análises de vulnerabilidades de redes, permitindo a execução de ações, em ambiente controlado, de proteção cibernética e defesa ativa, além do treinamento baseado em cenários reais de catástrofes e comprometimentos de infraestruturas críticas nacionais. O SIMOC foi desenvolvido no Centro de Instrução de Guerra Eletrônica (CIGE), do Exército Brasileiro, e este ano ganhará novas funcionalidades.

 Empresa Estratégica de Defesa

Além do SIMOC, a RustCon está no projeto de implantação do Sistema de Simulação Construtiva do Comando de Operações Terrestres (Coter). Neste projeto, a empresa atua como integradora, gerenciando e adequando o simulador para as doutrinas militares do exército.  “Temos total capacidade de contribuir com o desenvolvimento de soluções para as Forças Armadas, em projetos de alta tecnologia e grande complexidade, aportando a expertise e a capacidade de gestão da empresa em programas complexo”, conclui o presidente da empresa, Carlos Rust.