COBERTURA ESPECIAL - Crise - Geopolítica

21 de Outubro, 2019 - 11:30 ( Brasília )

Tropas dos EUA na Síria cruzam para o Iraque antes do fim da trégua turca





Tropas dos Estados Unidos cruzaram para o Iraque na manhã desta segunda-feira como parte de uma retirada do nordeste da Síria, ordenada pelo presidente Donald Trump, que abriu caminho para soldados turcos iniciarem uma ofensiva contra combatentes curdos na região.

Um cinegrafista da Reuters viu mais de 100 veículos atravessando pelo extremo nordeste da Síria, onde a Turquia concordou em frear sua arremetida durante cinco dias mediante um acordo entre Estados Unidos e Turquia. A trégua termina na noite de terça-feira. Imagens de vídeo da Reuters mostraram veículos blindados transportando tropas dos EUA através da passagem de fronteira de Sahela rumo a Dohuk, província do norte iraquiano.

O secretário de Defesa norte-americano, Mark Esper, disse no sábado que todos os quase mil soldados em retirada do norte sírio devem seguir para o oeste do Iraque para continuar a campanha contra militantes do Estado Islâmico e “ajudar a defender o Iraque”.

O presidente turco, Tayyip Erdogan, alertou que Ancara retomará seu ataque militar na Síria quando o prazo vencer se as Forças Democráticas Sírias (FDS) lideradas pelos curdos não tiverem se retirado da área da “zona segura” que propôs, que inclui a fronteira.

Erdogan também disse que seu país montará postos de observação na “zona segura” planejada. Uma testemunha na região disse que forças turcas já começaram a estabelecer dois destes postos no domingo, o que gerou críticas do Irã nesta segunda-feira.

“Somos contra Ancara estabelecer postos militares na Síria”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Abbas Mousavi, em uma coletiva de imprensa semanal transmitida ao vivo na televisão estatal.


 


Lógico que a máquina de propaganda Russa não poderia perder a oportunidade
 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


America Latina

America Latina

Última atualização 12 NOV, 11:20

MAIS LIDAS

Crise