COBERTURA ESPECIAL - Crise - Geopolítica

28 de Março, 2018 - 10:45 ( Brasília )

Reino Unido irá usar todo potencial para derrotar inimigos, diz May


A primeira-ministra britânica, Theresa May, vai alertar aqueles que buscam “atacar” o Reino Unido será usado todo potencial que possui para derrotá-los, em uma análise de segurança nacional que será publicada na quarta-feira.

A revisão, feita dias após o Reino Unido agir rapidamente para acusar Moscou por um ataque com agente nervoso contra um ex-espião russo, afirma que Londres deve usar toda sua habilidade (“soft power”) e seus recursos de comunicação para combater novas guerras híbridas.

A análise informará ainda que a ameaça de ataques islâmicos deve permanecer alta para ao menos os próximos dois anos, pode aumentar e impor desafios mais amplos de Estados, como a Rússia, Coreia do Norte e Irã.

May, uma ex-ministra do Interior, diz no prefácio do relatório que o Reino Unido teve ataques em Londres e Manchester e a “tentativa de assassinato” em Salisbury.

“Crucialmente o que todos estes incidentes deixaram claro é que nossa segurança nacional é condicional... à nossa habilidade de mobilizar eficientemente o alcance total de nossas as capacidades para responder aos desafios que nós enfrentamos”, escreveu, de acordo com trechos fornecidos por seu gabinete.

May disse que o Reino Unido agora não irá usar somente a polícia, serviços de segurança e o Exército, mas também medidas que vão “de alavancas econômicas a recursos militares de ponta para ampliar a influência cultural e diplomática no cenário mundial”. “Enquanto nós defendermos nossos interesses e defendermos nosso valores, continuarão existindo aqueles que buscam nos enfraquecer ou nos atacar.

Mas estas pessoas não devem ter dúvidas que nós iremos usar todas as capacidades a nossa disposição para derrotá-las.” O Reino Unido sofreu cinco ataques em 2017 que autoridades descreveu como terrorismo. A polícia disse ter frustrado outros 14 desde março do ano passado.

OTAN expulsa 7 diplomatas da Rússia e reduz tamanho de missão do país


A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) expulsou sete diplomatas da missão russa para a aliança em decorrência do ataque com uso de agente nervoso em território britânico neste mês, disse o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, nesta terça-feira.

Stoltenberg disse que a OTAN também reduziu o tamanho máximo da missão russa para a organização de 30 para 20 pessoas. “Isso envia uma mensagem muito clara para a Rússia de que isso tem preço”, disse, em coletiva de imprensa.

Rússia irá responder expulsão de diplomatas por países ocidentais na mesma medida, diz parlamentar

A Rússia irá responder na mesma medida à expulsão de diplomatas russos por países ocidentais, disse a presidente da câmara alta do Parlamento, Valentina Matviyenko, nesta quarta-feira, segundo a agência de notícias RIA.

De acordo com a agência, Matviyenko disse a repórteres: “Sem qualquer dúvida, a Rússia, como é da prática diplomática, irá responder simetricamente e observar paridade quando se trata do número de diplomatas”.

As relações entre Londres e Moscou foram gravemente abaladas pelo envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal e de sua filha Yulia na cidade inglesa de Salisbury. O Reino Unido alega que a Rússia é responsável pelo ataque, mas Moscou nega qualquer envolvimento.

Os Estados Unidos disseram na segunda-feira que irão expulsar 60 diplomatas russos do país, se juntando a diversos governos da Europa na ação contra o Kremlin em decorrência do ataque com uso de agente nervoso.

 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Helibras

Helibras

Última atualização 20 AGO, 14:50

MAIS LIDAS

Crise

1
10 AGO, 11:30

A guerra no Iêmen