COBERTURA ESPECIAL - Crise - Inteligência

18 de Março, 2016 - 09:00 ( Brasília )

Edward Snowden ironiza grampo da presidente Dilma

Em setembro de 2013, Edward Snowden vazou informações de que a presidente Dilma Rousseff e os seus principais assessores eram espionados pela agência norte-americana

Edward Snowden, ex-agente da Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA, na sigla em inglês), ironizou em sua conta no Twitter as conversas telefônicas entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, que foram liberadas nessa quarta (16/3) pelo juiz federal Sergio Moro.

"Três anos após as manchetes de escuta de @dilmabr, ela ainda está fazendo chamadas não criptografadas", escreveu Snowden em sua conta. A mensagem já foi retuitada por mais de 1,1 mil internautas. Em setembro de 2013, o ex-agente da NSA vazou informações de que a presidente Dilma Rousseff e o que seriam seus principais assessores eram espionados pela agência norte-americana.

A revelação causou um embaraço diplomático entre o Brasil e os EUA, além de ter sido condenada por Dilma em um duro discurso contra a espionagem na Organização das Nações Unidas. À época, Snowden elogiou a postura da presidente.

Secretaria de Segurança pede que manifestantes não façam ato anti-Dilma

Após o ato improvisado que levou 8 mil pessoas ao gramado do Congresso Nacional nesta quinta-feira (17/3), a Secretaria da Segurança Pública do DF (SSP-DF), divulgou uma nota com recomendações para que partidários pró-impeachment não se reúnam na Esplanada dos Ministérios nesta sexta-feira (18/3).

 

O motivo seria um outro ato organizado por um grupo petista, que está marcado para acontecer na mesma data, às 17h. De acordo com a secretaria, no início da noite de hoje começou a circular nas redes sociais convites de grupos contrários ao governo incentivando protestos pró-impeachment no mesmo local e horário da manifestação já agendada pelo PT. "Para evitar que grupos antagônicos estejam na mesma área, o que coloca em risco a segurança de todos, a SSP sugere que os partidários pró-impeachment escolham outra data ou local para protestarem", diz o comunicado.