COBERTURA ESPECIAL - Crise - Geopolítica

11 de Setembro, 2014 - 18:00 ( Brasília )

Putin ordena averiguação da prontidão de combate das tropas no leste da Rússia


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu a verificação da prontidão para combate de soldados no extremo leste da Rússia, marcando o mais recente procedimento militar deste ano em meio a uma série de tensões desencadeadas pela crise na Ucrânia.

Agências russas de notícias citaram o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, dizendo à liderança das forças armadas, nesta quinta-feira, que as tropas no distrito militar oriental, que inclui a fronteira marítima da Rússia com o Japão e uma parte da divisão com a China, receberam ordens de estar em total prontidão de combate.

Diversas checagens militares e exercícios de guerra, os quais Putin tem implementado para testar e demonstrar as capacidades das forças armadas, elevaram as tensões à medida que as relações entre Moscou e o Ocidente se esfriam por conta do papel da Rússia na crise da Ucrânia.

O Ocidente acusa Putin de utilizar algumas das manobras para elevar a presença das tropas russas na fronteira com a Ucrânia.

As checagens no leste da Rússia também tinham a intenção de testar a capacidade de repartições locais dos ministérios de comércio, comunicações e transportes de trabalharem juntos em condições de guerra, segundo a imprensa local.

Rússia ainda tem cerca de 1.000 soldados na Ucrânia, diz Otan

A Rússia ainda tem cerca de 1.000 soldados no leste da Ucrânia, disse um militar da Otan nesta quinta-feira, lançando dúvidas sobre relatos de que houve uma redução das forças russas na região.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, afirmou na quarta-feira que tinha informações de que 70 por cento dos soldados russos que estavam na Ucrânia haviam sido transferidos para o outro lado da fronteira.

"A redução relatada das tropas russas no leste da Ucrânia seria um bom primeiro passo, mas ainda não temos informação sobre isso. O fato em questão é que ainda existem cerca de 1.000 soldados russos no leste da Ucrânia, com quantidade substancial de equipamentos militares, e cerca de 20.000 soldados na fronteira da Rússia com a Ucrânia", disse um encarregado da área militar na Otan.

A Otan tinha dito na semana passada que, segundo suas estimativas, havia milhares de soldados de combate russos na Ucrânia.

Rússia diz estar comprometida com paz na Ucrânia apesar de sanções da UE

A Rússia está comprometida a ajudar uma iniciativa de paz na Ucrânia apesar de um novo conjunto de sanções econômicas impostas pela União Europeia contra Moscou, afirmou a agência Interfax nesta quinta-feira, citando um porta-voz do Kremlin.

"Apesar da posição da UE não ser construtiva, a Rússia vai continuar fazendo seu melhor para pôr em prática o plano de paz existente, e também para estabilizar a situação no sudeste todo da Ucrânia", disse Dmitry Peskov.

O ministro do Exterior da Rússia havia dito anteriormente que a UE havia se mostrado contrária ao processo de paz na Ucrânia ao impor novas sanções.

As últimas medidas devem colocar as principais produtoras de petróleo e operadoras de gasodutos e oleodutos da Rússia em uma lista de empresas que não poderão levantar capital ou emprestar em mercados europeus.