COBERTURA ESPECIAL - Expansão Chinesa - Geopolítica

19 de Novembro, 2011 - 11:50 ( Brasília )

China critica EUA por investigar seus "gigantes tecnológicos"


O governo chinês criticou neste sábado o Congresso americano por abrir uma investigação contra duas das principais empresas tecnológicas do país (Huawei e ZTE) para determinar se sua presença nos Estados Unidos representa uma ameaça à segurança, uma iniciativa que Pequim qualificou de "politizada" e "eleitoreira".

"É comum que os EUA tentem desviar a atenção para China e para as empresas deste país quando há eleições", lamentou o porta-voz do Comércio, Shen Danyang, ao jornal oficial China Daily.

Em termos parecidos se expressou o Ministério de Tecnologia e Indústria da Informação, cujos porta-vozes assinalaram que os EUA "impedem que as empresas estrangeiras operem em seu território com a desculpa da segurança nacional" e "as companhias chinesas foram vítimas destas investigações durante anos".

O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores Liu Weimin assegurou em comunicado que os investimentos chinesas nos EUA beneficiam a criação de empregos e o crescimento desse país, e por isso acredita que Washington "não vai politizar os problemas comerciais".

O Comitê de Inteligência da Câmara de Representantes dos EUA anunciou nesta semana o início de uma investigação para determinar se a rápida expansão de empresas de telecomunicações estrangeiras nos EUA pode ameaçar a segurança nacional, e citou a Huawei e a ZTE entre as investigadas.

Um porta-voz da filial da Huawei nos EUA, William Plummer, citado hoje pelo jornal governista chinês "Global Times", garantiu que a empresa, a segunda maior provedora mundial de equipamentos de telecomunicações, dava as boas-vindas às investigações se estas forem "abertas e justas".

Também assegurou que a Huawei fornece produtos a 90% das 50 maiores firmas de telecomunicações do mundo, e que em nenhum destes casos foram informados problemas de segurança.

A ZTE expressou nesta semana em comunicado que confia que as investigações demonstrarão que a empresa respeita as leis e é confiável para seus parceiros americanos, assim como para seus clientes.