COBERTURA ESPECIAL - Expansão Chinesa - Geopolítica

04 de Janeiro, 2016 - 14:00 ( Brasília )

China inaugura Força de Foguete da ELP


O presidente chinês, Xi Jinping, inspecionou na quinta-feira (31 de dezembro) as bandeiras militares para o Exército, a Força de Foguete e a Força de Apoio Estratégico do Exército de Libertação Popular (ELP) do país.

Na cerimônia de inauguração, Xi Jinping apontou que a criação do Comando Geral do Exército, Força de Foguete e Força de Apoio Estratégico foi uma decisão estratégica tomada pelo Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh) e pela Comissão Militar Central (CMC) para realizar o sonho chinês e o fortalecimento das Forças Armadas, sendo uma tática para a construção de um sistema militar moderno com características chinesas.

Ao felicitar as três forças, Xi Jinping salientou a importância de seguir o caminho do fortalecimento militar com características chinesas, implementar as diretrizes e estratégias e promover a reforma do setor. Ele ainda pediu a todos os efetivos militares que estejam sempre prontos para agir em resposta ao chamado do Partido e do povo e cumpram as missões atribuídas.

Três forças do ELP da China prometem fortalecimento das Forças Armadas

Nos últimos dias, os soldados do Exército, da Força de Foguete e da Força de Apoio Estratégico do Exército de Libertação Popular (ELP) da China estudaram a fundo as instruções do presidente chinês, Xi Jinping, na recente cerimônia de inauguração. Todos acreditam que as instruções do presidente indicaram o caminho de desenvolvimento para a construção das três forças e definiram os princípios básico.

Os soldados prometeram priorizar às expectativas e tarefas atribuídas tanto pelo líder chinês como pela Comissão Militar Central (CMC) e empenhar-se para modernizar o Exército de Libertação Popular (ELP) da China , a fim de contribuir para realização do Sonho Chinês e fortalecimento das Forças Armadas.

Para os soldados, a criação do Comando Geral do Exército, Força de Foguete (em substituição à designação Segundo Corpo de Artilharia), e Força de Apoio Estratégico foi uma decisão estratégica tomada pelo Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh) e pela Comissão Militar Central (CMC) para aprofundar as reformas da defesa e das forças armadas. As três forças persistirão firmemente no princípio de liderança absoluta do PCCh e agirão conforme as exigências do Comitê Central do PCCh e Comissão Militar Central (CMC).

Os soldados do Exército afirmaram que forças terrestres foram as primeiras tropas armadas criadas e lideradas pelo PCCh e ganharam êxitos brilhantes durante os períodos de revolução e de reconstrução nacional. Todos se empenharão para impulsionamento da transformação do modelo da força terrestre sob o tema de modernização. O

s soldados da Força de Foguete afirmaram que a substituição da designação Segundo Corpo de Artilharia em Força de Foguete abriu um novo caminho de construção modernizada. O Exército de Libertação Popular (ELP) da China se comprometeu a executar rigorosamente as emendas da reforma, a fim de impulsionar o desenvolvimento. Como uma nova força de combate, os soldados da Força de Apoio Estratégico prometeram um caminho de desenvolvimento correspondente à própria realidade, a fim de realizar a modernização do grupo.

Segundo porta-aviões

O porta-voz do Ministério da Defesa da China, Yang Yujun, confirmou nesta quinta-feira (31), em uma coletiva de imprensa, que o país está projetando e construindo independemente seu segundo porta-aviões.

Yang Yujun disse que a China já possui o porta-aviões Liaoning, e que o país decidiu iniciar o desenvolvimento do segundo após uma série de considerações dos departamentos concernentes.

Segundo Yang Yujun, a China tem insistindo no caminho do desenvolvimento pacífico, na implementação de políticas diplomáticas independentes e pacíficas e de políticas defensivas. A China conta com uma longa costa e ampla aérea marítima, e o dever sagrado das forças armadas chinesas é manter a segurança, a soberania e o direito marítimo.

O porta-aviões, com um deslocamento de 50 mil toneladas, será a base dos aviões de guerra J-15 e outros tipos de aeronaves. O projeto e a construção têm sido baseados nas experiências positivas do primeiro, acrescentou Yang.